Por pbagora.com.br
Foto: Veja/Reprodução
 
 

O Observatório de Síndromes Respiratórias da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) coordenará pesquisa em domicílio para testagem de covid-19 em 9,6 mil paraibanos. O estudo por amostragem terá início em novembro e será realizado em 130 municípios. A pesquisa em domicílio é inédita e será desenvolvida em parceria com o governo do estado da Paraíba.

O levantamento epidemiológico, denominado de “Continuar cuidando – Observatório da Covid-19”, terá o objetivo de retratar o cenário da pandemia da covid-19 na Paraíba. Além de testagens, serão realizadas entrevistas, com o acompanhamento de agentes de saúde comunitários. Na próxima semana, o piloto da pesquisa ocorrerá em João Pessoa, município com maior contingente populacional e quantitativo de casos registrados. O estudo deve ser concluído em dezembro.

Segundo um dos coordenadores do observatório do Departamento de Estatística da UFPB, Hemílio Fernandes, que também integra o subcomitê de modelos matemáticos do Comitê Científico de Combate ao Coronavírus do Consórcio Nordeste (C4NE), desde maio, os dados produzidos pelo observatório, sobre indicadores relacionados à pandemia, a exemplo das previsões de novos casos e óbitos, estão sendo fornecidos para o governo do estado da Paraíba.

Hemílio explica que a parceria com a equipe de pesquisadores da UFPB para a execução da pesquisa incluiu etapas como definição do método de amostragem para sorteio dos domicílios que terão seus moradores testados para covid-19, o desenvolvimento de sistemas de entrevistas e a elaboração de questionários.

Já ao governo da Paraíba caberá a parte relacionada à testagem e à logística da coleta dos exames pelas equipes de atenção básica do estado, bem como o acompanhamento dos participantes que testarem positivo.

“Com os indicadores obtidos na pesquisa, o estado vai poder elaborar protocolos consistentes sobre eventuais retomadas de algumas atividades que, por enquanto, estão suspensas devido à pandemia, além de atualizar informações acerca dos atuais protocolos de flexibilização que já estão em vigor”, destaca o professor da UFPB.

Além disso, o docente da federal paraibana ressalta que os dados que serão coletados no levantamento são relevantes não somente para a gestão pública, mas para a sociedade como um todo, servindo de objeto de estudo para futuras pesquisas em nível de pós-graduação, na UFPB. O levantamento epidemiológico será executado com recursos da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq).

PB Agora

 
 
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PB inicia hoje campanha do Dezembro Vermelho, de combate ao HIV/Aids

Secretaria de Estado da Saúde (SES) inicia, nesta terça-feira (1º), a campanha Dezembro Vermelho, mês da conscientização e combate ao HIV/Aids. Este ano, devido à pandemia do novo coronavírus, as…

Trauma de CG fez mais de 7 mil atendimentos em novembro e quedas têm maior número de vítimas

O Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, que integra a rede hospitalar do Governo do Estado, prestou no mês de novembro 7.814 atendimentos no…