Sobeiu para 5,6% taxa de imóveis com focos de Aedes Aegypti em Campina Grande, segundo apontou o 2º Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), feito pela Secretaria de Saúde da cidade, entre os dias 1º e 5 de abril deste ano. O número é considerado alto e com risco de proliferação das doenças transmitidas pelo mosquito. O resultado foi divulgado essa semana. 

Foram realizadas coletas em imóveis de 51 bairros e localidades. De acordo com o levantamento, quase 90% dos criadouros estavam em tonéis, cisternas, baldes, caixas d’água, garrafas e piscinas. O primeiro LIRAa realizado no início do ano pela Secretaria de Saúde registrou a taxa de 3,2% de imóveis com focos de Aedes Aegypti.

Os bairros que apresentaram os maiores índices foram o Distrito Industrial, Presidente Médici, Quarenta e Santa Cruz, que chegaram a registrar 11% de focos no total de locais visitados pelos agentes. Já nos bairros Catolé, Itararé e no distrito de Galante, foram registrados os menores índices, com focos em 1,4% dos pontos vistoriados.

Redação

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Secretaria de Saúde de CG abre vacinação da Influenza para todas as pessoas

A Secretaria de Saúde de Campina Grande ampliou a Campanha de Vacinação da Influenza para toda a população. Anteriormente, apenas os grupos prioritários podiam ser vacinados, mas após alcançar a…

Consórcio de imprensa mostra PB entre os 11 estados que estabilizaram mortes por Covid-19

Os dados sobre a evolução no novo coronavírus no Brasil, divulgados ontem à noite no Jornal Nacional pelo consórcio de veículos de imprensa, mostram que a Paraíba está entre os…