No último mês de julho, preocupada com a saúde mental dos usuários, a rede social Instagram realizou mudanças em sua plataforma. A quantidade de likes/visualizações, antes visível em todas as postagens, deixaram de ser mostradas. Agora, apenas o autor da postagem tem acesso “as curtidas”. A competição por cliques teria motivado a decisão da empresa.

Para os psicólogos, a iniciativa foi positiva, visto que a necessidade de aprovação em posts traz risco à saúde mental. Para psicóloga ouvida pelo PB Agora, Hanna Jarine, as redes sociais têm aparecido como vilãs quando se trata da saúde mental dos usuários. A comparação com a vida do outro, ou com a vida que o outro aparenta ter, através das redes sociais, pode despertar o sentimento de fracasso, fazendo-o acreditar que a vida é ruim e a do outro é perfeita. “Trata-se muitas vezes de uma realidade maquiada, mas que é vista como verdade absoluta. Isso é internalizado na pessoa que está com algum tipo de transtorno e que já tem a tendência de achar que sua vida não tem valor, não tem sentido, que ninguém lhe ama e que não vai conseguir progredir”, opinou a psicóloga.

Estudiosos acreditam que o número de curtidas nas redes pode trazer insegurança generalizada e baixa autoestima. No entanto, o usuário precisa entender que não existe vida perfeita, que existem momentos de tristeza e, principalmente, de derrota. “O usuário vê tudo aquilo e percebe que a realidade do outro é maravilhosa, é bonita. Percebe que as outras pessoas têm relacionamentos felizes, têm condições de estarem viajando, então, para alguém que já está fragilizado, trazer tudo isso para sua realidade, que é oposta a isso, pode despertar a tendência de querer que sua vida acabe, pensando em se suicidar”, declarou Jarine.

Além do que se posta nas redes sociais, é importante estar atento também, segundo Hanna, aos comentários que faz e as opiniões que emite. Dependendo do estado emocional do receptor, a informação pode trazer um efeito devastador a sua vida. Xingamentos e julgamentos feitos por alguém que se sente seguro para fazê-los por achar que jamais será penalizado, é um comportamento nocivo quando se trata da saúde mental. “As redes sociais prendem mais as pessoas a ficarem em algumas paranóias. É muito notório a forma como as pessoas julgam, como elas invadem a vida, como dão as opiniões de forma muitas vezes pesada por achar que por estar do outro lado da rede nunca serão descobertas e enviam críticas para uma pessoa que, quando mau vista por ela mesma, pode gerar consequências alarmantes”, pontuou.

 

Redação 

Total
7
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Oportunidade: PMCG oferta 17 vagas para residência médica

A Secretaria de Saúde de Campina Grande, em parceria com a Universidade Federal de Campina Grande, lançou edital de seleção para o Programa de Residência Médica do município. São 17…

Trauma de JP atende 96 casos que envolveram queda, no final de semana

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, realizou, durante o fim de semana, 629 atendimentos, sendo 222 foram considerados casos graves ou gravíssimos. Neste…