Por pbagora.com.br

Eles são minoria na população da Paraíba, mas morrem mais do que as
mulheres. A cada dia, o coração mata quase nove homens, o câncer vitima
três, os males respiratórios levam dois ao óbito e os digestivos tiram a
vida de, pelo menos, um. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde
(SES). As doenças e males incluídos nos 18 principais grupos de causas de
mortes matam mais de 27 homens, por dia. Para conscientizar a população
masculina sobre a importância da prevenção e dar o pontapé inicial para a
consolidação da política de saúde destinada a esse público, o Governo do
Estado promove, a partir desta segunda-feira (10), a ‘I Semana Estadual de
Saúde do Homem’.

A gerente operacional do Ciclo da Vida da SES, Katya Torres, explicou que o
evento faz parte do ‘Projeto Alerta Homem’, desenvolvido pela SES, que se
propõe a implementar a política nacional de atenção integral à saúde do
homem, na Paraíba, estruturando e organizando os serviços de saúde para
atender à população masculina. Durante toda a semana, serão realizadas 19
palestras, com temas diversos, enfocando principalmente os cuidados de
prevenção das doenças, como mal de Alzheimer, distúrbio androgênico do
envelhecimento masculino, câncer de próstata, diabetes, hipertensão arterial
e alcoolismo. Além disso, serão discutidos assuntos atuais como violência no
trânsito e acidentes de trabalho.

*Exames e caminhada* – As palestras vão acontecer no auditório da PBPrev, no
Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor), Centro Estadual de Referência
do Trabalhador (Cerest), no Came de Jaguaribe, na Secretaria da Segurança e
da Defesa Social (Seds) e na empresa GM Engenheira. Como parte das
atividades da semana, haverá distribuição de preservativos, realização de
coleta externa de sangue, aferição da pressão arterial, distribuição de
folders informativos e encaminhamentos para exames de PSA (que diagnosticam
o câncer de próstata) para o Laboratório Central do Estado (Lacen).

* *A programação da Semana Estadual da Saúde do Homem será encerrada
na sexta-feira (14), com uma caminhada ecológica, às 7h, no Jardim Botânico
Benjamim Maranhão. No local, acontecerão um café da manhã e várias ações de
promoção à saúde do homem, atividades físicas, exames e trabalhos
educativos.

* Hábitos ruins* – O cardiologista Maurílio Onofre, chefe da Rede de
Cardiologia da SES, disse que os homens ainda morrem mais do coração e de
outras doenças, embora a prevalência delas venha aumentando também entre as
mulheres, nos últimos anos. “Os hábitos de vida das pessoas, especialmente
dos homens, contribuem para essa realidade. Os fatores de risco – como
tabagismo, estresse, sedentarismo, má alimentação – são determinantes para o
surgimento de várias doenças e a prevenção é a melhor forma de evitar as
complicações e as mortes”, disse.

Segundo o médico, homens aparentemente saudáveis (assintomáticos)
devem fazer avaliações anuais do estado de saúde, a partir dos 40 anos.
“Para quem tem sintomas ou antecedentes familiares os riscos são maiores e
os cuidados precisam ser redobrados”, alertou.

*Causas de mortes* – Segundo dados fornecidos pela SES referentes a óbitos
ocorridos de 2004 a 2008, em média, 10.171 homens morrem por ano na Paraíba,
acometidos de várias doenças, sendo que as do aparelho circulatório lideram
as causas de mortes, no Estado, superando até mesmo as causas externas
(homicídios, acidentes e suicídios). O coração mata, em média, 3.262 homens
por ano, quase nove por dia; seguido das causas externas (são 1.827 mortes
por ano, cinco por dia); das neoplasias (1.270 mortes por ano); doenças
respiratórias (864 mortes/ano) e do aparelho digestivo (608 mortes/ano). **

Somando todas as causas de mortes (com exceção das externas) mais de 50 mil
homens morreram nos últimos cinco anos, acometidos por doenças e males,
muitos evitáveis. Os dados fornecidos pela SES são relativos a 18 grupos de
causas de mortes, que incluem as doenças infecciosas e parasitárias, do
sangue, endócrinas nutricionais e metabólicas neoplasias, do sistema
nervoso, do olho e anexos, do ouvido, do aparelho circulatório e da apófise
mastóide, do aparelho respiratório, do aparelho digestivo, da pele e do
tecido subcutâneo, do sistema osteomuscular, do aparelho geniturinário,
algumas afecções originadas no período perinatal, malformações congênitas e
deformidades e anomalias cromossômicas, transtornos mentais e
comportamentais.

Secom

Notícias relacionadas

Brasil chega a 375 mil mortos por Covid; país registrou 1.607 mortes em 24 horas

O país registrou 1.607 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou nesta segunda-feira (19) 375.049 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes…

Mais de 100 curados da covid-19 recebem alta no Trauma de JP em 56 dias

A cada alta, os pacientes que deixam o Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, recebem aplausos da equipe multiprofissional que os acolheu. A ação…