Por pbagora.com.br

O secretário de Saúde da Paraíba, médico Geraldo Medeiros, declarou que “não há nenhuma modificação” no que diz respeito à utilização da cloroquina nos hospitais da rede estadual, diante da mudança ´de protocolo´ estabelecida pelo Ministério da Saúde.

“É fundamental que (o uso) seja sob prescrição médica, porque o médico se responsabiliza por essa prescrição”, emendou o secretário paraibano.

Por conta do avanço da Covid-19, Geraldo Medeiros se disse muito apreensivo com a possibilidade de um colapso na rede pública de saúde, tanto em João Pessoa quanto no município de Campina Grande, por conta do avanço de contaminados pelo coronavírus.

Segundo ele, os números estão cada vez mais aumentando, ou seja, está ocorrendo uma avalanche de novos casos nesta semana e previstos também para a próxima.

Geraldo Medeiros informou ainda que há uma avaliação do Comitê Científico do Norte e Nordeste que preconiza uma restrição social mais intensa na região metropolitana de João Pessoa e em Campina Grande.

Com relação à possibilidade de poder haver uma flexibilização das medidas adotadas pelo governo do Estado, que se expira dentro do prazo de 9 dias, o secretário atesta que do ponto de vista técnico, essa avaliação depende dos indicadores epidemiológicos.

“Nós não podemos promover a flexibilização no momento em que há um pico de incidência de casos na Grande João Pessoa e em Campina Grande”, disse.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Brasil tem mais de 135 mil mortes por Covid-19

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta…

Agências do INSS da Paraíba são reabertas, mas não há previsão de retorno das perícias

As agências do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) voltaram a atender presencialmente na Paraíba, mas sem a realização de perícia médica. As agências que foram abertas estão sendo vistoriadas…