O secretário de Saúde da Paraíba, médico Geraldo Medeiros, declarou que “não há nenhuma modificação” no que diz respeito à utilização da cloroquina nos hospitais da rede estadual, diante da mudança ´de protocolo´ estabelecida pelo Ministério da Saúde.

“É fundamental que (o uso) seja sob prescrição médica, porque o médico se responsabiliza por essa prescrição”, emendou o secretário paraibano.

Por conta do avanço da Covid-19, Geraldo Medeiros se disse muito apreensivo com a possibilidade de um colapso na rede pública de saúde, tanto em João Pessoa quanto no município de Campina Grande, por conta do avanço de contaminados pelo coronavírus.

Segundo ele, os números estão cada vez mais aumentando, ou seja, está ocorrendo uma avalanche de novos casos nesta semana e previstos também para a próxima.

Geraldo Medeiros informou ainda que há uma avaliação do Comitê Científico do Norte e Nordeste que preconiza uma restrição social mais intensa na região metropolitana de João Pessoa e em Campina Grande.

Com relação à possibilidade de poder haver uma flexibilização das medidas adotadas pelo governo do Estado, que se expira dentro do prazo de 9 dias, o secretário atesta que do ponto de vista técnico, essa avaliação depende dos indicadores epidemiológicos.

“Nós não podemos promover a flexibilização no momento em que há um pico de incidência de casos na Grande João Pessoa e em Campina Grande”, disse.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Paraíba atingiu hoje um total de 7.823 infectados e 272 mortes por Covid-19

A Secretaria de Saúde registrou um total de 272 mortes por covid-19 na Paraíba neste domingo (24). O boletim epidemiológico divulgado nesta tarde também registrou 7.823 casos confirmados, 2.208 recuperados…

Hospital de João Pessoa usa plasma para tratamento da Covid-19

A utilização de plasma como procedimento para a cura de um paciente que ficou recuperado da Covid-19, bem como para o tratamento de novos infectados pelo novo coronavírus aconteceu pela…