Por pbagora.com.br

No pior momento da pandemia, o Brasil vive um vácuo de liderança na principal pasta que conduz ações de combate à doença. Sem data definida para a posse de Marcelo Queiroga, novo titular da Saúde, o governo está entre um ministro demitido e outro que ainda não assumiu. O atraso impacta o prosseguimento de novas negociações e elaboração de estratégias, bem como as investigações sobre a atuação do Ministério da Saúde no enfrentamento da covid-19, mas aqual seria o real motivo da ainda não posse de Queiroga ao comando da pasta, em contato com amigos proximos do futuro ministro foi revelado que o impasse é devido a sociedade de uma empresa de Queiroga.

A posse de Queiroga estava prevista para quinta-feira (25/3), dez dias após o presidente Jair Bolsonaro anunciar o cardiologista como sucessor do general Eduardo Pazuello. No entanto, o Planalto não define a data, que já foi atualizada duas vezes.

Antes, Queiroga, que é sócio-administrativo de uma clínica, precisa abdicar da liderança no empreendimento para assumir o cargo público, principal razão burocrática que atrasa a oficialização.

Apesar de preparar o terreno para deixar o cargo — concluiu a negociação de compra de vacinas com a Pfizer e Moderna antes de ter a demissão definida — , Pazuello aguarda o sinal verde para passar o bastão. Novas tratativas estão suspensas até o novo ministro assumir a função.

Sem a oficialização, secretários, governadores e prefeitos aguardam para deliberar sobre as estratégias de enfrentamento, como novos acordos de aquisição de vacinas e medidas que vão além das urgências para que não faltem medicamentos e oxigênio nas UTI’s brasileiras.

O atraso também confunde os encaminhamentos para as apurações conduzidas pelo Ministério Público Federal (MPF) mirando a pasta e a atuação na condução da crise. Sem um gestor oficial, os novos pedidos de informação para avançar nas investigações deverão ficar para depois da indefinida posse.

Redação

Notícias relacionadas

João anuncia equipamento para acomodar pacientes do interior que precisem dormir em João Pessoa

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), anunciou nas suas redes sociais a construção de um prédio de acolhimento em parceria com o Hospital Padre Zé para a hospedagem de pacientes do…

Vereadora Dona Fátima lamenta suspensão de campanha da vacinação contra Covid em Campina Grande

Integrante da Comissão de Saúde e Bem Estar Social da Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG), a vereadora Maria de Fátima Melo Silva, mais conhecida como Dona Fátima (PODEMOS), lamentou…