Por pbagora.com.br

O gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes, disse que a negativa para a importação da vacina Sputnik V decidida pela agência nesta segunda-feira (26) não “inviabiliza” o uso do imunizante no país, pois a análise pode ser refeita com novos dados.

Mendes também afirmou, nesta terça-feira (27), aos deputados da comissão externa da Câmara que acompanham o combate à pandemia que, durante o processo de avaliação técnica, os representantes do Instituto Gamaleya, da Rússia, afirmaram não ter alguns dos dados solicitados.

O gerente-geral se referia à constatação, feita pela Anvisa, de que a vacina contém adenovírus que se replicariam no organismo, quando isso não seria permitido pelas regras internacionais. Na vacina russa, o adenovírus é usado para levar informações sobre o coronavírus para o organismo humano.

Mendes explicou que, constatada a replicação, os russos deveriam apresentar estudos que mostrassem a segurança do método e que a alternativa é o desenvolvimento de outra vacina.

PB Agora

Notícias relacionadas

Covid-19: PMJP mobiliza equipe da saúde para vacinar população em situação de rua

A Prefeitura de João Pessoa deu início, na manhã deste sábado (15), dentro da campanha de imunização contra a Covid-19, à imunização da população em situação de rua, que havia…

Covid-19: PB registra 1.091 novos casos e 23 óbitos nas últimas 24h

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) da Paraíba registrou, neste sábado (15), 1.091 casos de Covid-19. Entre os confirmados hoje, 19 (1, 7%) são casos de pacientes hospitalizados e…