Doze universidades federais e uma estadual que já transformaram alguns de seus laboratórios em centros de diagnóstico de testes de Covid-19 podem dobrar sua capacidade, chegando a realizar 100 mil procedimentos por mês. A expectativa é do projeto encomendado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e que será coordenado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Cerca de R$ 32,5 milhões devem ser repassados à iniciativa por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) que analisa a proposta apresentada nesta terça-feira (23).

Além da UFMG, participam da rede de laboratórios a UFF, UFPB, UFPE, UFG, Unifesp, UFSM, UFMS, UFRJ, Ufam, UFPR, Ufob e a UESC. O projeto reúne 118 pesquisadores.

A expectativa é que os sete laboratórios da UFMG sejam responsáveis por 30% dos 100 mil testes de diagnóstico mensais previstos. Os kits para os testes por PCR serão fornecidos pela Fiocruz, por meio do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), no Rio de Janeiro.

G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Saiba como fazer o teste diagnóstico de covid-19 pelo plano de saúde

O exame laboratorial para detecção do novo coronavírus foi incluído pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) no rol de procedimentos obrigatórios de cobertura pelos planos de saúde em março,…

CCJ da ALPB aprova projetos para prevenir servidores de contaminação da covid-19

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, durante reunião remota nesta terça-feira (07), dois projetos de Lei focados na prevenção à contaminação…