Três pessoas integrantes da família do homem de 59 anos que está sendo investigado como o primeiro caso suspeito de coronavírus diagnosticados na Paraíba,  estão em quarentena por 14 dias.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, a medida foi necessária para evitar uma possível contaminação de outras pessoas e para quebrar a cadeia de transmissão, caso fique comprovado que o paciente foi infectado pelo vírus durante viagem à Itália. De acordo com a assessoria do Complexo Hospitalar Clementino Fraga, onde o paciente deu entrada, a esposa que o acompanhou na viagem a Europa, o filho, de 27 anos, e a nora, de 25 anos. foram aconselhados a ficarem em quarentena dentro de casa.

Todos estão em quarentena em sua residência, orientados a não receberem visitas e não saírem de casa para fins de controle epidemiológicos. Uma equipe da vigilância epidemiológica mantém contato diário com eles para monitorar o quadro de saúde do grupo.

Já o homem está internado no Complexo Hospitalar Clementino Fraga desde a noite da última terça-feira (25). A expectativa da SES é que o resultado do primeiro exame seja divulgado nesta sexta-feira (28), mas ainda será feito um outro exame mais conclusivo.

Ele esteve em viagem à Itália entre os dias 14 e 23 de fevereiro, chegando ao Brasil na segunda-feira (24), em voo internacional com destino a Recife. Ele buscou o atendimento médico por conta própria, acompanhado por familiares. No hospital, o paciente informou que apresentou no dia 10 de fevereiro um resfriado e que já viajou apresentando tosse seca, mas sem relato de febre neste período. Ainda durante a viagem, o homem, que reside em João Pessoa, apresentou sintomas como tosse, febre e coriza.

O Complexo de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga, onde o paciente está internado, é uma unidade preparada para atender casos suspeitos de coronavírus, conforme plano estadual para notificação e assistência divulgado pela SES em janeiro. Qualquer caso que se encaixe no perfil deve ser transferido para o hospital.

Além do Clementino Fraga, o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), também em João Pessoa, está apto para atender casos suspeitos exclusivamente em pacientes da pediatria.

O Secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, garantiu que todos o caso está sendo investigados e que não há necessidade para pânico. Ele também orientou a população a tomar algumas medidas para evitar a contaminação do vírus.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Covid-19: PMCG mantém decisão de deixar comércio fechado

O comércio de Campina Grande vai continuar fechado como medida de prevenção ao novo coronavirus. A decisão foi tomada entre o prefeito e empresários que queriam reabertura do comércio. A…

DOE traz convocação de profissionais para atuar no combate ao COVID-19

O Diário Oficial desta sexta-feira (03) trouxe a convocação por parte do Governo do Estado da primeira lista de convocação de profissionais da área de saúde, resultante da Chamada Pública,…