De fevereiro até maio de 2019, pelo menos oito casos de malária já foram confirmados na Paraíba. A oitava paciente deu entrada no último sábado (1º) no Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), em João Pessoa.

Ela tem 53 anos de idade e é residente em Jacumã, localizada na cidade de Conde.

O quadro da mulher é considerado estável e ela permanece internada dando continuidade ao tratamento. De acordo com informações da assessoria de imprensa do Hospital, a mulher havia começado a sentir os sintomas no dia 25 de maio e já tinha começado o tratamento ainda em Conde.

A mulher já havia sido diagnosticada com o quadro de malária ainda em Conde, mas os exames comprovaram que o internamento era necessário.

Para este ano, o Ministério da Saúde, em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), tem intensificado as ações de integração da prevenção da malária com a atenção primária nos estados e municípios. Além disso, o ministério já realizou neste ano duas capacitações com profissionais de saúde com o objetivo de melhorar a metodologia de trabalho com foco na identificação dos focos de malária. Outra importante estratégia da pasta é a sensibilização da população, parte essencial desse processo. Por isso, o lançamento da campanha de comunicação, que neste ano, traz o slogan “Brasil Sem Malária”.

MALÁRIA

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por parasitos do gênero Plasmodium, transmitidos pela picada da fêmea infectada do mosquito gênero Anopheles. O paciente com malária não é capaz de transmitir a doença diretamente a outra pessoa, é necessária a participação de um vetor. Entre os principais sintomas da malária estão, febre alta, calafrios, tremores, sudorese ou dor de cabeça. Algumas pessoas antes de apresentarem esses sintomas, sentem náuseas, vômitos, cansaço e falta de apetite.

A malária tem cura, mas se não for diagnosticada e tratada em tempo oportuno, pode evoluir para formas grave da doença.

 

 

Redação

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

OPINIÃO: O Hospital Napoleão Laureano precisa é da ajuda de todos, privados e públicos. O resto é mimimi!

Procurar culpados, ou simplesmente tentar fazer da instituição um cavalo de batalha para defender interesses que só interessam a alguns, nada disso vai resolver grave crise que por ora enfrenta…

Saúde de Campina Grande divulga estratégias para prevenção ao sarampo

A Secretaria de Saúde de Campina Grande vai estender a vacinação do sarampo a todas as crianças do município entre seis e onze meses de vida, conforme orientação do Ministério…