Dados fornecidos pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), repassados pelos municípios paraibanos, mostram que ano a ano tem caído o número de homens que realizam o exame de Antígeno Prostático Especifico (PSA) e as consultas urológicas na Atenção Básica. Os números mostram um descompasso alarmante: enquanto crescem os óbitos por câncer de próstata na Paraíba, os homens têm procurado menos atendimento especializado.

Em 2014, em todo Estado, 43.937 homens realizaram o PSA, caindo para 36.398 em 2015 e depois 29.659 em 2016, redução de 32,5%. As consultas com urologistas também tiveram queda.

Em 2014, 39.173 homens buscavam ajuda médica em todo o Estado, caindo para 30.858 no ano seguinte, terminando em 32.841 em 2016, queda de 16,16% na análise dos três anos. Os dados corroboram o argumento dos especialistas na área: é preciso que as administrações públicas reforcem as campanhas de conscientização sobre a importância da prevenção do câncer de próstata, bem como fortaleçam as Unidades de Atenção Básica.

É o que defende o urologista Emerson Medeiros, da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). “Faltam políticas de investimento na saúde do homem, principalmente quando pensamos nos pequenos municípios. A saúde do homem não é tão bem estruturada como é a saúde da mulher. Essas campanhas educativas que temos, como o Novembro Azul, praticamente não existem nessas pequenas cidades”, disse.

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Temos que diminuir o nº de mortes no trânsito”, diz superintendente do Detran

Nos últimos sete anos, cerca de 10 mil pessoas perderam a vida em acidentes de trânsito na Paraíba, especialmente em acidentes envolvendo motocicletas esses números preocupam o Governo do Estado…