Por pbagora.com.br

O Ministério Público da Paraíba instaurou um procedimento administrativo para acompanhar e fiscalizar a possível troca de cadáver ocorrida no hospital Prontovida, em junho. O procedimento foi instaurado pela 48ª promotora de Justiça da Capital, Maria das Graças Azevedo, que atua na defesa da saúde.

A promotora vai oficiar à Direção do Hospital Prontovida solicitando, no prazo de cinco dias informações referentes à troca de cadáver, bem como as medidas que estão sendo realizadas para impedir novos fatos dessa natureza.

 

Recomendação

A promotora recomendou, na última quarta-feira (1/07), que a prefeitura adote providências para zelar pela identificação dos corpos, quanto ao registro da localização em que o corpo foi inumado, fazendo constar no registro de óbito, com comunicação imediata ao Cartório de Registro de Óbito do Município, com objetivo de evitar o fenômeno do desaparecimento pós-pandemia.

 

Redação com MPPB

Notícias relacionadas

JP começa a vacinar pessoas com comorbidades de 35 anos+

A Prefeitura de João Pessoa vai começar, nesta sexta-feira (7), a imunização contra a Covid-19 para pessoas de 35 anos de idade ou mais que tenham comorbidades, trabalhadores de saúde…

PB deverá receber mais 16.900 doses de Coronavac para 2ª dose

Mais 16.900 doses de vacinas Coronavac que serão destinadas a aplicação da 2ª dose, chegarão à Paraíba neste sábado (08). De acordo com informações do Ministério da Saúde, as doses…