Por pbagora.com.br

O Ministério Público da Paraíba instaurou um procedimento administrativo para acompanhar e fiscalizar a possível troca de cadáver ocorrida no hospital Prontovida, em junho. O procedimento foi instaurado pela 48ª promotora de Justiça da Capital, Maria das Graças Azevedo, que atua na defesa da saúde.

A promotora vai oficiar à Direção do Hospital Prontovida solicitando, no prazo de cinco dias informações referentes à troca de cadáver, bem como as medidas que estão sendo realizadas para impedir novos fatos dessa natureza.

 

Recomendação

A promotora recomendou, na última quarta-feira (1/07), que a prefeitura adote providências para zelar pela identificação dos corpos, quanto ao registro da localização em que o corpo foi inumado, fazendo constar no registro de óbito, com comunicação imediata ao Cartório de Registro de Óbito do Município, com objetivo de evitar o fenômeno do desaparecimento pós-pandemia.

 

Redação com MPPB

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Paraíba ultrapassa uma semana com queda nos óbitos por Covid-19

A Paraíba ultrapassou uma semana entre os estados brasileiros que apresentam queda na taxa de óbitos causadas pela Covid-19, conforme os dados do Consórcio de Imprensa. Há mais de sete…

“Mecanismo de habituação”, diz especialista sobre mortes por covid-19 não causarem mais impacto

O Brasil caminha para 100 mil vítimas fatais da doença, que segue avançando. Nunca tantos brasileiros perderam a vida em tão pouco tempo, apesar disso a psicóloga Mônica Farias revela…