A Paraíba o tempo todo  |

Mais um paciente denuncia Trauminha; direção abre sindicância

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Paciente denuncia má alimentação e descaso no Trauminha; direção abre sindicância

Internada desde o último sábado (27), no Trauminha de Mangabeira com fraturas no membro inferior devido a uma queda, a comerciante Lucilene de Sousa denunciou, nesta quinta-feira (01), os momentos de angústia pela espera da cirurgia, inclusive com acomodação e alimentação inadequadas.

Sujeiras, demora no atendimento, falta de material, e refeições com alimentos sem o devido cozimento foram algumas das reclamações relatadas por ela.

“Quando eu fui bater o raios X do pé o médico viu que meu pé estava fraturado em duas partes e eu fiquei internada, sem previsão de cirurgia, a desculpa deles é que falta material e enquanto isso eu fico em uma maca na porta da sala da cirurgia. O lençol que estou usando eles não trocaram, está sujo de sangue, eles não tem nem aí para gente, a comida é fornecida crua e com cabelo dentro, a gente é tratado como animal”, relatou.

O caso foi destaque na Rádio CBN João Pessoa na manhã de hoje. O diretor da unidade, Carlos Lopes, recebeu as fotos, e lamentou o que viu. Ele informou que abrirá uma sindicância para apurar os fatos já que as fotos comprovaram que os alimentos consumidos realmente condiziam com a denúncia da paciente.

“A gente abriu uma sindicância. Sobre a comida, eu vi a foto, já chamei a coordenação da nutrição. Dentro dos protocolos isso não tinha como acontecer. Garanto que isso não vai mais acontecer. Estamos chateados com isso. Garanto que isso não vai acontecer”, disse ao reconhecer a veracidade da denúncia.

Já sobre a falta de higiene também denunciada pela comerciante, o diretor explicou que duas unidades realizam diariamente a limpeza no complexo e que devido ao cronograma de atendimento leito a leito, no momento da fotografia, a equipe ainda não havia realizado o serviço. “Podemos garantir que a limpeza é realizada todos os dias, mas sabemos que o complexo é grande, o cronograma de limpeza existe e é realizado diariamente”, garantiu.

No que diz respeito à falta de materiais, que foi a justificativa dada a paciente por alguns funcionários para a não realização do procedimento cirúrgico, o diretor negou e assegurou que não faltam materiais na unidade.

“Os insumos nós temos sim para realização de cirurgias. Essa parte é infudada. Essa paciente deu entrada sábado. Segunda feira ela fez o primeiro atendimento, terça fez os exames, e hoje o coordenador da ortopedia a atendeu e fará a cirurgia sábado agora”, explicou.

As filas e a lotação apresentadas também em algumas fotografias, segundo o diretor, tratam-se do ambulatório, que é rotativo.

“Onde tem a foto é o ambulatório, então nós recebemos pacientes de toda a Paraíba. Lá é local dos consultórios, por isso que há varias pessoas, mas elas são atendidas e não internadas naquele local”, arrematou.

A denúncia foi exclusiva à rádio CBN e as imagens não foram liberadas para a imprensa.



PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe