Mais de 170 equipamentos de proteção faciais, produzidos no Polo de
Inovação do IFPB, já foram entregues para a Secretaria de Saúde do Estado
da Paraíba. O equipamento vem sendo utilizado por profissionais que atuam na
linha de frente no tratamento de pacientes com o Covid-19.

O protetor facial é um equipamento de proteção individual que é colocado em
cima da máscara N95, fazendo com que o profissional esteja ainda mais
seguro contra infecção. “Esse protetor é muito importante para o profissional de
saúde que lida diretamente com os doentes e se expõe a um risco maior. Ele
protege a máscara e pode ser higienizado”, disse a Diretora do Polo de
Inovação, Damires Souza.

A produção está sendo entregue diariamente. De acordo com o coordenador
de Infraestrutura do Polo de Inovação, Michel Dias, já foram produzidos 277
protetores faciais e 176 foram doados. “Também serão entregues mais 50
unidades à prefeitura de Monteiro e enviaremos 51 para a SES”, destacou o
professor. Um grupo de 4 professores e 7 estudantes estão participando desse
projeto que envolve a impressão e montagem do equipamento. A distribuição é
feita pela Secretaria de Saúde.

Michel Dias informou ainda que o custo de cada um destes equipamentos é
menor do que 5 reais. O material foi conseguido através de doações dos
professores do Polo e dos Campi. O grupo é composto pelos seguintes
docentes e estudantes: Professores: Michel Coura Dias (Polo), Rafael Ponce
(Campus JP), Rafael Franklin(Campus JP), Giuseppe Lima (Campus Monteiro);
Alunos: Julierme Silva (campus João Pessoa), Klivisson Campelo (campus
João Pessoa), Larissa Mendes (campus João Pessoa), Gabriel Aragão
(Campus Monteiro), Edson Luiz (Campus JP), Gabriel Gutierrez (Campus
Monteiro) e Luana Barros (Campus JP). “Utilizamos hoje as impressoras 3D do Polo e vários destes membros colocaram suas impressoras particulares para
imprimir”, comentou Michel.

O Projeto – O protetor facial é projeto idealizado pelo  Núcleo de Tecnologias
Estratégicas em Saúde da Universidade Estadual da Paraíba-NUTES/UEPB,
que vem trabalhando para o desenvolvimento de soluções tecnológicas e
dispositivos para o enfrentamento à Covid-19. O IFPB, por meio do Polo de
Inovação, se integrou à rede de impressão 3D desse grupo e agora participa
ativamente na produção dos equipamentos.

“Estamos produzindo os protetores faciais com base no projeto conceitual do
Nutes/UEPB. Recebemos esse projeto, no qual é feita a leitura através de um
software e enviado para a  impressora 3D que constrói o suporte para o
protetor camada a camada, com base no projeto. Por isso estamos usando o
máximo número possível de impressoras 3D para poder escalar essa
produção”, enfatizou Damires Souza.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Agentes públicos devem observar critérios técnicos e científicos na pandemia

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram que os atos de agentes públicos em relação à pandemia da Covid-19 devem observar critérios técnicos e científicos de entidades médicas e…

Hospital de João Pessoa usa plasma para tratamento da Covid-19

A utilização de plasma como procedimento para a cura de um paciente que ficou recuperado da Covid-19, bem como para o tratamento de novos infectados pelo novo coronavírus aconteceu pela…