Nos seis primeiros meses deste ano o Hospital da Criança e do Adolescente de Campina Grande realizou 28.122 atendimentos, o que representa uma média de 4.687 atendimentos por mês. O número mostra um aumento com relação ao primeiro semestre dos anos anteriores, quando eram realizados menos de 4 mil atendimentos mensalmente. Para atender à demanda crescente, a Prefeitura ampliou espaços da unidade e está construindo um novo hospital pediátrico.

Por conta do aumento de casos de doenças respiratórias mais graves que chegaram ao serviço, em abril deste ano a Secretaria Municipal de Saúde ativou uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Hospital da Criança. A UTI já dispõe de sete leitos em funcionamento e só foi possível ser implantada com a locação de uma usina de gases medicinais móvel, uma vez que o prédio não dispõe de estrutura adequada para implantação da rede de gases.

Com as limitações na estrutura do hospital, a Prefeitura está construindo uma nova sede para o HCA, que vai funcionar na Avenida Floriano Peixoto, no Dinamérica. As obras já foram iniciadas e a previsão é que a nova unidade, que terá centro cirúrgico, UTI e enfermarias, seja concluída até o mês de maio do próximo ano. Ao todo, estão sendo investidos mais de R$10 milhões para construção e aquisição de equipamentos.

INVESTIMENTOS – Desde 2013, a Prefeitura Municipal de Campina Grande vem realizando melhorias no HCA, como a abertura de novas enfermarias e alas para internação. A PMCG também reformou a brinquedoteca, em parceria com o Ministério Público do Trabalho, área utilizada para a recuperação terapêutica dos pacientes. Ainda foi implantado o Programa de Residência Médica, que forma profissionais médicos para a pediatria.

Este ano, além dos atendimentos de urgência e emergência, a Secretaria de Saúde passou a realizar consultas especializadas para as crianças e os adolescentes no hospital. Os atendimentos são em diversas especialidades, como nefrologistas, neurologistas, alergologistas, endocrinologistas, dermatologistas e gastroenterologistas, além dos pediatras.

 

Redação com Codecom/CG

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Temos que diminuir o nº de mortes no trânsito”, diz superintendente do Detran

Nos últimos sete anos, cerca de 10 mil pessoas perderam a vida em acidentes de trânsito na Paraíba, especialmente em acidentes envolvendo motocicletas esses números preocupam o Governo do Estado…