A Paraíba o tempo todo  |

Estudo aponta que em 95% dos casos, varíola do macaco pode ter sido transmitida durante o sexo

Foto: DadoRuvic/Routers

Após analisar 528 casos de varíola dos macacos, uma pesquisa concluiu que 95% das infecções ocorreram durante o contato sexual.

A doença não é considerada uma infecção sexualmente transmissível (IST), mas, conforme aponta o estado, é disseminada principalmente por contatos durante o sexo neste novo surto, que foi considerado emergência pública de preocupação global pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Só no Brasil já foram registrados 607 casos da doença até a última sexta-feira (22).

O novo estudo foi publicado na última quinta (21) no New England Journal of Medicine e os casos analisados foram registrados em 16 países. Os casos do Brasil não estão incluídos nesta pesquisa.

A conclusão, embora não seja possível confirmá-la completamente, envolve o fato de que 406 dos participantes tinham histórico recente de atividades sexuais com uma média de cinco parceiros sexuais nos últimos três meses.

O sêmen de 32 pacientes foi analisado para averiguar a presença do DNA do monkeypox, destes, 29 registraram a presença do patógeno.

A presença do vírus no sêmen é um indicativo de que a transmissão deve ter ocorrido, em sua maioria, por meio de contato sexual.

PB Agora

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe