Por pbagora.com.br

Um alerta dado neste final de semana pelo Comitê Científico de Combate ao Coronavírus do Consórcio Nordeste causa preocupação aos paraibanos é que a Paraíba segundo este comitê poderá sofrer, nos próximos dias ou semanas, o efeito bumerangue nos casos de covid-19, caso não tome as medidas adequadas de segurança. Vale ressaltar que várias cidades estão formulando decretos para a reabertura gradual do comércio.

De acordo com os membros do comitê, esse efeito bumerangue se dá a incidência maior de pacientes do interior do Estado pode sobrecarregar os leitos da capital. O assunto foi discutido durante uma transmissão ao vivo realizada ontem com os coordenadores do Comitê Científico, Miguel Nicolelis e Sérgio Rezende, à imprensa.

Os dados observados pelo comitê apontam que a interiorização da pandemia atingiu todo o Estado, bem como múltiplas regiões interioranas, mostrando, no dia 29 de junho, que as cinco cidades com maiores picos da doença foram Sousa, Patos, Conde, Cajazeiras e Alagoa Grande.

Para evitar o efeito bumerangue na Paraíba, o Comitê Científico de Combate ao Coronavírus recomenda a adoção de algumas medidas de segurança que discipline o trânsito de pessoas. “A malha rodoviária foi um grande motivador desse processo de interiorização no Nordeste. A recomendação é que a Paraíba invista em ações como barreiras sanitárias e um rodízio de veículos particulares e ônibus intermunicipais”, disse o coordenador do consorcio o neurocientista e professor Miguel Nicolelis. Ele acrescentou que o rodízio de veículos foi feito na China com muito sucesso.

Outra medida apontada seria a implantação da barreira sanitária em trechos das rodovias que ligam João Pessoa a Recife e João Pessoa a Natal. O Boletin nº 9 do Comitê mostrou que a Paraíba poderia também considerar a possibilidade de instituir um fechamento temporário – alguns dias de cada semana – de suas fronteiras com os estados de Pernambuco e Rio Grande do Norte, para minimizar o fluxo de novos casos para João Pessoa e outras partes do Estado.

O documento ainda sugere que a Paraíba precisa criar Brigadas Emergenciais de Saúde por todo o Estado, acoplando-as aos dados fornecidos pelo aplicativo Monitora Covid-19, para impor uma estratégia eficaz para a quebra da taxa de reprodução do coronavírus tanto no interior como na sua capital.

 

Redação

Notícias relacionadas

Gestantes e puérperas começam a ser vacinadas contra a Covid-19, em Campina Grande

Dentro do plano de imunização contra a Covid-19 em Campina Grande, as gestantes e puérperas iveram bebês há pelo menos 45 dias, e que têm comorbidadescomeçam a ser vacinadas nesta…

João Pessoa começa nesta quinta-feira a usar a vacina da Pfizer contra a Covid-19 em grávidas

Após receber as primeiras doses da vacina Pfizer contra a Covid-19, João Pessoa começa nesta quinta-feira (6) a usar a aplicar o imunizantes em mulheres grávidas. A vacina será aplicada…