A Paraíba o tempo todo  |

Corte radical no total de AIHs pelo Maranhão III faz Casa de Saúde em Uiraúna fechar as portas

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Uma notícia pegou de surpresa a população de na manhã dessa terça (7). A Casa de Saúde Padre Costa, que há 17 anos presta atendimento médico em Uiraúna, fechou suas portas por conta da redução no repasse de recursos por parte do Governo do Estado.

O médico e ex-prefeito Bosco Fernandes, responsável pela direção, disse que a Clínica recebia até há cerca de um mês como teto das AIHs R$ 45 mil. Desse total, houve a redução para R$ 14 mil. Segundo Fernandes, somente com despesas de médicos, funcionários e INSS são aplicados R$ 33 mil. Além dessa demanda, ainda há outros gastos com medicamentos, alimentação, manutenção e energia.

Bosco Fernandes disse que há cerca de 20 dias vem tentando resolver o problema junto ao secretário estadual de saúde, José Maria de França, e o deputado federal Wilson Santiago (que garantiu uma solução), mas até agora não houve nenhuma iniciativa concreta para sanar o problema de sangria dos recursos.

Em reunião, na noite desta segunda-feira (6), com autoridades e os funcionários da Clínica, a direção da Casa de Saúde Padre Costa resolveu fechar as portas para o atendimento a todos.

A Clínica é um dos hospitais mais movimentados da região: conta com 20 leitos, 5 médicos (com plantão 24 horas, todos os dias) e com aparelhos de raio-x e ultra-som. Além do serviço que presta, oferece ainda emprego para dezenas de famílias.

Urgência
Alguns pacientes ainda estão sendo atendidos e medicados até que apresentem melhora e recebam alta, mas, a partir de hoje, alguém que procurar atendimento encontrará as portas fechadas . “A Clínica atendia diariamente em média 130 pacientes de Uiraúna e vários outros municípios da região. Para se ter uma idéia, somente nessa segunda (ontem) nós atendemos pacientes de São João do Rio do Peixe, Poço José de Moura, Santarém, Bernardino Batista, Poço Dantas e até alguns do Rio Grande do Norte”, ressaltou Dr. Bosco.

Segundo o ex-prefeito, caso continue a insensibilidade por parte das autoridades estaduais e o deputado Wilson Santiago não consiga reverter esse quadro, a Casa de Saúde terá que fechar as portas definitivamente e procurar uma saída para pagar as dívidas com seus funcionários.
 

Com Diário do Sertão

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe