Por pbagora.com.br

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, informou que o atendimento inicial aos pacientes com suspeita da covid-19 vai migrar da Unidade de Pronto Atendimento do Alto Branco, para o Hospital Municipal Pedro I.

O objetivo dessa medida é retomar os atendimentos a outros perfis de pacientes, na UPA, e centralizar os pacientes com suspeita do novo coronavírus no hospital. Essa mudança no fluxo de atendimento só está sendo possível, graças à diminuição no número de pacientes internados no Pedro I.

“Vamos trazer todo o serviço de atendimento inicial para o Pedro I, que vai passar a fazer toda essa triagem e a UPA vai voltar a realizar os atendimentos rotineiros de clínica médica geral, pediatria, oftalmologia, ortopedia e outras especialidades porque, afinal de contas, as pessoas estão precisando desses outros atendimentos”, disse Romero.

A mudança ocorre a partir do dia 17 de agosto, quando o hospital já passa a receber os pacientes com suspeita. “Com isso, todos os pacientes com síndrome respiratória, ou seja, com falta de ar, tosse e outros sintomas da covid-19, devem passar a procurar o Hospital Pedro I, e não mais a UPA”, explicou o secretário municipal de Saúde, Filipe Reul.

A UPA, porém, vai realizar um processo de transição, para não deixar de atender os pacientes que, porventura, procurarem a Unidade, em vez do hospital. “Vamos criar dois fluxos na UPA Alto Branco, até o final do mês. Um para pacientes de outras patologias e outro para atender aqueles com sintomas da covid-19 que, por acaso, forem até lá”, disse o diretor da UPA Alto Branco, médico Giovanny Roncally.

A UPA tem apresentado uma leve queda no número de atendimentos semanais. Isto também se dá pela descentralização do atendimento aos pacientes com suspeita de covid-19. A testagem rápida está sendo realizada em 15 Unidades Básicas de Saúde. Além disso, o Hospital Municipal Pedro I tem apresentado uma baixa taxa de internação, ficando abaixo dos 40%.

Na última semana, o número de altas médicas foi superior ao de admissões de novos pacientes, pela primeira vez, desde o início da pandemia. Foram quase 50 altas e 44 admissões.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Bebê de um ano é diagnosticada com leucemia e pais criam Vakinha para cobrir despesas do transplante

Diane Macedo da Silva Rocha, bebê de apenas um ano, foi diagnosticada com Leucemia Mielóide Aguda em julho deste ano. Após passar por ciclos de quimioterapia, Diane precisará de um…

Brasil tem menor média móvel de casos de Covid-19 desde 18 de junho

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta…