A Paraíba o tempo todo  |

Central de Transplantes comemora Dia do Doador com recorde nas doação de córneas

PUBLICIDADE

O Dia Nacional do Doador de Órgãos e Tecidos (27 de setembro) foi celebrado pela Central Estadual de Transplantes, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, com um dado animador: depois de dois anos, a Paraíba ultrapassa a marca de 150 transplantes de córneas no ano. Em 2019, foram 89, em 2020, 36, e neste ano, até então, já foram registradas 158 cirurgias desse tipo.

A coordenadora do Banco de Olhos, a oftalmologista Camila Gadelha, comentou o número e disse que meta é zerar a fila de espera no estado, que no momento tem 321 pessoas aguardando por uma córnea.

“Nós estamos no ‘Setembro Verde’ comemorando o aumento substancial da realização dos transplantes de córneas no nosso estado. Este ano, já batemos um recorde e estamos em busca de zerar a fila. Estamos no caminho certo”, esclareceu.

O evento que marcou a data foi realizado no auditório da Escola de Saúde Pública da Paraíba, em João Pessoa, e reuniu servidores da Central, médicos coordenadores dos hospitais doadores e transplantadores, além do secretário executivo de gestão de unidades de saúde, Daniel Beltrammi.

Na ocasião, familiares de dois colaboradores que perderam a vida para a covid-19 foram homenageados. “Agradeço muito a todos vocês por tudo isso, foi uma surpresa. Foi a primeira vez que meu irmão foi homenageado. Ele amava muito trabalhar na Central”, agradeceu emocionada Jerusa de Souza, irmã do servidor Júlio Farias.

Ainda durante o encontro, o médico neurocirurgião, Gustavo Patriota, ressaltou a importância de uma boa gestão para a conquista dos resultados obtidos nos últimos dois anos. “A Paraíba melhorou a gestão e isso é fundamental para quem pensa em transplantar. O estado vem trabalhando adequadamente gestão e pessoas,” observou.

Na Paraíba, são realizados transplantes de coração, fígado, rins, córneas e medula óssea. E o papel da família é fundamental para efetivar o processo.

“Quando a gente fala de transplante, a gente fala no gesto mais genuíno de doação de vida, de desapego, no momento difícil, quando você perdeu uma pessoa que você ama, você ser capaz de permitir que outras tantas pessoas sigam podendo fazer suas escolhas com seu bem-estar restabelecido”, reforçou o secretário Daniel Beltrami.

Dados – Atualmente a Paraíba tem 518 pessoas na fila de espera pela doação de um órgão ou tecido. São 321 pessoas esperando por uma córnea, três aguardam um coração, 11 esperam um fígado e 183 estão na fila por um transplante renal.

PB Agora

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe