Por pbagora.com.br

O coordenador executivo do Procon de Campina Grande, Rivaldo Rodrigues, sofreu um infarto ontem (18), em sua residência. Ele foi levado ao Hospital Antônio Targino, onde foi submetido a várias angioplastias, à noite. Segundo a assessoria, os procedimentos foram um sucesso e, hoje (19), Rivaldo vai ser transferido da UTI para um apartamento,

A angioplastia coronariana é um procedimento cirúrgico minimamente  invasivo do coração, realizado por meio de uma punção na pele com o uso de catéteres  e próteses endovasculares, que realizam a desobstrução das artérias coronárias.

Esse processo permite que as artérias coronárias voltem ao seu funcionamento regular, possibilitando que o coração receba maior fluxo de sangue e continue trabalhando normalmente. Isso garante ao paciente um tempo de internamento menor e recuperação mais rápida que cirurgias convencionais.

A angioplastia coronária é indicada quando o cateterismo cardíaco detecta a presença de obstruções nas artérias coronárias que, em função da gravidade ou da localização, não conseguem ser tratadas com medicamento.

Rivaldo Rodrigues participou na última segunda feira de reunião da CPI dos Combustíveis na Câmara Municipal de Campina Grande. “Estamos elaborando uma Ação Civil Pública para ingressar contra o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis em Campina Grande e Região e alguns postos, para que expliquem os motivos que os impedem de repassarem as constantes reduções de preços dadas pela Petrobras para os consumidores campinenses”, anunciou o coordenador executivo do Procon, na reunião da CPI.

Durante duas horas os vereadores integrantes da CPI, Alexandre do Sindicato, Rodrigo Ramos e o Pastor Luciano Breno interpelaram o coordenador do Procon de Campina acerca das análises realizadas pelo órgão sobre essa questão.

Rivaldo Rodrigues explicou que já analisaram mais de 10 mil documentos oriundos de 58 postos de combustíveis localizados na cidade, que tiveram inúmeras reuniões com o presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis em Campina Grande e Região, Bruno Agra, e que ainda não está claro porque Campina tem os preços mais altos de todo o estado.

 

Redação com Paraíbatododia

Deixe seu Comentário