O Covid-19 avança em Campina Grande.Uma avalanche de casos confirmados da doença foi registrado essa semana na cidade. O número de pessoas infectadas com o vírus cresceu de forma assustadora. A cidade ultrapassou Patos e Santa Rita e se tornou a segunda maior da Paraíba a ter pessoas contaminadas com o Covid-19. Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alto Branco, que é a porta de entrada de pacientes com Covid-19, filas chegaram a ser formada essa semana com pessoas suspeitas de ter contraído o vírus. O médico da UPA, Gabriel Vasconcelos relevou ao PB Agora, que a procura aumentou essa semana, e a correria foi grande para atender a todos.

Segunda maior cidade do Estado, Campina Grande já registrou 590 caos de Covid-19, ficando apenas atrás de João Pessoa, o epicentro da doença com 2.226 casos. Ao todo, a Paraíba tem 6.882 casos confirmados e 248 mortes por corona. Além de atender a própria população, Campina Grande recebe pacientes de outras 69 cidades paraibanas, e pacientes não param de chegar.

Essa avalanche de novos casos na Rainha da Borborema aconteceu 15 dias após as enormes filas em bancos registradas na cidade.

De acordo com o secretário de saúde do município, Felipe Reul, o crescimento dos casos essa semana demonstra um real aumento da transmissão do vírus na cidade, mas é também um reflexo da ampliação na testagem de pacientes, e principalmente pelas longas filas que foram formadas há 15 dias nas agências bancárias da Caixa Econômica Federal instaladas na cidade. Por conta da busca dos campinenses pelo Auxílio Emergencial, filas gigantescas foram formadas em frente a Caixa e o reflexo das aglomerações foi sentido essa semana com o aumento dos casos confirmados de Covid-19.

“Estamos tendo um panorama mais claro da situação epidemiológica local e isso só reforça a necessidade da população cumprir rigorosamente o distanciamento social”, avaliou o secretário.

Segundo o secretário, o reflexo das filas formadas no Dia das Mães, provavelmente será sentido na próxima semana quando um novo surto da doença deve ser registrado na Rainha da Borborema.
O resultado desse avanço da Covid-19 em Campina Grande, é sentido na rede hospitalar, com a superlotação.

A taxa de ocupação hospitalar também tem crescido e chegou a 66% dos leitos de UTI e 63% dos leitos de enfermaria. Por isso, a Secretaria de Saúde informou que já está capacitando os profissionais de saúde convocados, através de processo simplificado, para atuarem no novo hospital e campanha inaugurado essa semana.

Os leitos existentes na UPA, já estão praticamente ocupados e o hospital de campanha do município, ainda não está totalmente ocupado, mas alguns pacientes já estão sendo encaminhados para essa unidade hospitalar, visto que o Pedro I, também já está lotado. As alas de Covid no Hospital Universitário e Hospital do Trauma, também estão ocupadas.

Por conta disso, o Comitê Científico do Consórcio Nordeste recomendou que seja adotado um aumento da restrição de circulação de pessoas, um bloqueio total (lockdown) das atividades na Região Metropolitana de João Pessoa e em Campina Grande.

Severino Lopes
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Acidentes com motos lideram entradas no Trauma de CG durante o final de semana

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, atendeu 295 usuários durante o fim de semana (23 e 24.05). O balanço tem como base…

PMCG promove dia D de vacinação para motoristas de táxi, moto e transporte escolar

A Prefeitura de Campina Grande realizará nesta terça-feira, 26, na sede da STTP, uma campanha de vacinação contra a gripe H1N1 para taxistas, mototaxistas e motoristas de transporte escolar cadastrados,…