O Ministério Público abriu inquéritos para investigar condições sanitárias de seis hospitais de Campina Grande. Os procedimentos foram instaurados na quarta-feira (7) pela promotora de justiça da saúde em Campina Grande, Adriana Lacerda.

De acordo com o Ministério Público, os inquéritos foram iniciados para apurar as condições higiênico-sanitárias dos seis hospitais de Campina Grande, tendo em vista que já tramita no órgão o inquérito 003.2018.002453 que apura a falta de alvará sanitário nas unidades de saúde. Estão sendo investigados os Hospital João XXIII; Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea; Hospital Municipal Dr. Edgley; Hospital Pedro I; CLIPSI – Serviços Hospitalares e Hospital da Fundação Assistencial da Paraíba (FAP).

A direção do Hospital da Clipsi informou que até o fim da tarde desta quarta-feira não havia tomado conhecimento do procedimento, nem havia sido notificado, mas destacou que está a disposição do Ministério Público. A direção do João XXIII também disse que não foi notificada sobre o procedimento.

A presidência da FAP informou que não tomou conhecimento de vistoria, mas confirmou que foi convocada para uma reunião na sede do Ministério Público na próxima semana.

A secretaria municipal de saúde de Campina Grande, responsável pelo Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), Hospital Municipal Dr. Edgley eHospital Pedro I, informou que vai aguardar a divulgação dos relatórios para se pronunciar.

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário