Moradores do bairro do Roger denunciam falta de médico na Unidade Saúde da Família III, pelo menos desde os últimos três meses do ano passado, e também a falta de energia nas USF I e II, situadas no Baixo Roger, desde o mês de dezembro. Segundo as denúncias, a médica da Unidade III deixou de comparecer ao expediente há vários meses alegando problemas de saúde, no início deste ano entrou de férias e logo em seguida, segundo informações, solicitou aposentadoria.

 

Nas unidades I e II do Baixo Roger, os problemas também são graves. Os dois funcionam no mesmo prédio e estão sem energia desde o mês de dezembro. Os usuários estão com o atendimento prejudicado por causa de um curto-circuito. Até ontem, as duas unidades continuavam sem energia e funcionando precariamente.

 

Segundo a usuária Yara Coutinho, na unidade III, situado na rua Joaquim Nabuco, a médica atendeu muito mal durante o ano passado, porque teve vários problemas de saúde e vivia de atestado médico. Este mês, ela entrou de férias deixando os usuários sem atendimento à saúde. “O pior é que a médica não foi substituída e quem vinha sendo acompanhado por ela ficou totalmente prejudicado”, disse a usuária da USF III, Yara Coutinho.

 

Ela informou também que terça-feira passada os funcionários informaram que a médica havia dado entrada na aposentadoria. “O problema é que os funcionários da USF III não dão uma previsão de quando será contratada uma nova médica para substituir a que está saindo”.

 

Curto-circuito

Nas outras unidades situadas no Baixo Roger, a comunidade que frequenta as USF I e II também estão prejudicadas desde o ano passado quando ocorreu um curto-circuito. Por causa do curto-circuito, os frequentadores estão sem poder fazer exames de sangue e outros exames que necessitam de computador por falta de energia. Segundo Luciana Gomes, “a médica da unidade I até comparece ao expediente, mas fica em uma mesinha, só ouvindo e anotando as necessidades das pessoas sem poder fazer um atendimento mais preciso, por causa da falta de energia”.

 

O usuário da Unidade de Saúde II do Baixo Roger, João Almeida, disse que o mal atendimento por falta de energia vem ocorrendo desde o mês de dezembro, e que todos os usuários estão prejudicados. Ele disse também que além da falta de médico na Unidade III, às vezes os funcionários ficam irritados com as reclamações e acabam atendendo mal as pessoas que buscam atendimento à saúde, disse Almeida.

 

 

Redação

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Funcionando sem médicos, postos de saúde são interditados pelo CRM em JP

O Conselho Regional de Medicina (CRM-PB interditou eticamente dois postos de saúde do Bairro das Indústrias, em João Pessoa. A fiscalização foi realizada nesta quinta-feira (22) e, de acordo com…

Sarampo: SES orienta vacinar crianças de 6 a 11 meses com dose “zero”

Começa, nesta sexta-feira (23), a vacinação contra o Sarampo para crianças de 6 a 11 meses em toda a Paraíba. A Tríplice Viral faz parte do calendário permanente de vacinação,…