Nesta quarta-feira (12) o candidato ao Governo do Estado, Zé Maranhão, participou de uma sabatina na Universidade Estadual da Paraíba, em Campina Grande. Na ocasião, Maranhão teve a oportunidade de falar sobre as propostas a futura gestão e também de melhorias para a instituição.

O candidato destacou que a Paraíba vem perdendo espaço dentro do contexto econômico na região nordeste. “Acreditamos que podemos recuperar isso. Lutar para que a Paraíba volte a ser forte no quesito econômico. Campina Grande, por exemplo,  tem vocação para o vestuário, e muito do que tem sido vendido por aqui têm vindo de Pernambuco. Pretendemos fazer aqui na cidade um Distrito Industrial voltado para pequena e média indústria. Não só de tecido, mas também de couro, que está perdendo força. É preciso desenvolver esse tipo de empresas que são grandes geradoras de emprego e renda”, afirmou.

Respondendo aos questionamentos feitos pelos docentes e alunos, Maranhão lembrou que “quando fui governador, respeitei, colaborei e investi na universidade simplesmente cumprindo a lei. A universidade está atravessando crise orçamentária. Ela vem cumprindo seu papel. Falta a gestão fazer o dela. Quando assumi havia uma expectativa porque a lei que reserva parte da receita do estado para suprir as necessidades foi de um adversário. Aguardei a oportunidade de dizer a Paraíba que no meu trabalho não existe a palavra retaliação. Uma coisa são os partidos e outra coisa são os interesses da paraíba.”

Um questão enfatizada pelo candidato foi quanto à saúde financeira da UEPB: “Vou me empenhar, inicialmente, em sanar os problemas financeiros da universidade para acabar com essa crise grave que está instaurada. Um outro passo é pensar na expansão. Isso não pode ser inserido num contexto demagógico do ‘volta fazer’ durante o período de campanha. Precisamos batalhar por isso: restabelecer a estabilidade financeira da universidade”.   

Maranhão também lembrou do que já fez pela instituição: “Reforcei meus cuidados com a universidade quando criei o campus de Araruna. Faltavam os recursos e nós orçamentamos os os que foram apresentados pela universidade. Construímos esse campus sem nenhum custo para a universidade, na medida das possibilidades orçamentárias do estado. Vamos contribuir com a universidade mais uma vez.”

“Um governador não pode ser apenas técnico. Ele tem que ser líder, ter trânsito nos poderes da esfera federal para ajudar a conseguir recursos. Não sou radical. Serei um governador que vai sim dar continuidade ao que está bom, mas posso garantir que irei melhorar o que não está funcionando”, disse Zé.

 

Redação com Assessoria

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Deputado agradece a Veneziano pela destinação de emendas para cidades no Sertão da PB

As ações de saúde pública nos municípios de Sousa e Aparecida no Sertão paraibano foram contempladas com mais recursos financeiros oriundos do Orçamento Geral da União – OGU. Por iniciativa…

STF nega pedido de Berg Lima para retorno à Prefeitura de Bayeux

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Tofolli negou o pedido de suspensão de liminar apresentado pelo prefeito afastado de Bayeux, Berg Lima para retorno ao cargo no Executivo…