Por pbagora.com.br

O senador José Maranhão (MDB) decidiu usar a tribuna da Casa e comentar sobre a crise causada pela greve dos caminhoneiros. Ele engrossou o coro dos senadores que pedem a demissão do presidente da Petrobras, Pedro Parente.

 

Maranhão ironizou que Parente não é parente do povo brasileiro e criticou a política adotada por ele diante da Petrobras que segundo o paraibano é "contrária aos interesses do país". O senador lembrou que o governo, por ser acionista majoritário da Petrobras, tem mais o poder de estabelecer uma política de preços da companhia. E disse que não existe "um diretor da Petrobras com poderes absolutos que se sobrepõe ao poder do do dono da empresa".

 

"O senhor Pedro Parente — não sei de quem; do Brasil é que não é –, não sei com que ânimo, se arvora de absolutamente autônomo para adotar uma política contrária aos interesses nacionais. O presidente da República precisava chamar o senhor Pedro Parente e dar a ele a opção: ou cede aos interesses do Brasil ou deixa o cargo para alguém que tenha mais patriotismo, que tenha mais compromisso com a nacionalidade", arrematou Maranhão", afirmou. 

 

Redação

Notícias relacionadas

Bruno destaca avanço dos primeiros quatro meses de gestão em CG

Ao conceder entrevista ao Programa Frente a Frente, transmitido pela TV Arapuan, na noite desta segunda-feira, 3 de maio, o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, elencou diversas conquistas…

Esquerda forma frente anti-Bolsonaro que pode virar aliança para 2022 na Paraíba

Quem pensar que os partidos de esquerda estão desarticulados entre si, na Paraíba, está enganado. Há mais de dois meses, sete deles – PT, PSB, Psol, PC do B, UP,…