O deputado federal Wilson Santiago lamentou a aprovação, na madrugada desta quinta-feira (30), da Medida Provisória 871/19. Dentre várias determinações, ela proíbe que trabalhadores rurais comprovem o seu tempo de serviço junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com declarações emitidas por sindicatos rurais.

Para Wilson, que votou contra a proposta, se trata da exclusão sumária dos sindicatos no processo de aposentadorias. Com a aprovação da MP, o pequeno produtor rural precisará comprovar o tempo de exercício de atividade rural por meio de autodeclaração ratificada pelo Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pronater).

"Votei contra porque esta medida representa o fim dos sindicatos rurais nas aposentadorias. Quem conhece a realidade do sertão, das regiões na qual a agricultura familiar é o motor da economia, sabe da importância destes sindicatos no apoio aos trabalhadores rurais, no apoio para que os mesmos consigam a sua merecida aposentadoria", afirmou.

O principal problema da nova determinação, segundo o deputado, será a dificuldade e a burocracia para que os trabalhadores consigam emitir as documentações e ter acesso aos benefícios.

PB Agora

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Romero deixa para agosto decisão sobre escolha do sucessor em CG

Os pré-candidatos da base aliada do prefeito Romero Rodrigues (PSD) terão que aguardar mais alguns dias para saber quem será o escolhido para disputar a sucessão municipal em Campina Grande.…

Eleições 2020: Nonato minimiza tese de postulação própria do Cidadania à PMJP

Nonato Bandeira, ex-presidente do Cidadania, partido do governador João Azevêdo, declarou em entrevista ao programa Rádio Verdade, da Arapuan FM, na tarde desta terça-feira (14) que é totalmente contra qualquer…