Por pbagora.com.br

Os intensos debates entre as vereadoras Eliza Virgínia (PSDB) e Sandra Marrocos (PSB), que acontecem com frequência na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), ganharam mais um episódio nesta terça-feira (22). Após tomar conhecimento sobre uma palestra da vereadora socialistas em uma escola da Capital, Eliza demonstrou preocupação com o tema que poderia ter sido abordado.

Segundo Eliza, Marrocos teria ido até à escola para falar a respeito da ideologia de gênero, tema este que, para Eliza Virgínia, deve ficar de fora do ambientes escolar. “Quando Sandra Marrocos vai a uma escola falar sobre gêneros, sobre sexo, sobre ideologia de gênero, que eles tanto dizem que não é, mas é, eu tenho que estar atenta. Que escola é essa? Qual o nível de escolaridade desses alunos”, questionou a parlamentar.

A vereadora acrescentou ainda a necessidade da permissão dos pais para que seus filhos sejam ouvintes de palestras com esta temática e criticou a insistência, segundo ela, de militantes da esquerda em tratar a respeito do assunto. “Parece que esse pessoal da esquerda só vê sexo na cabeça. Esse pessoal da esquerda só vê essa temática sexual, homossexualidade, transexual, não tem outra coisa para ensinar as crianças”, declarou.

Sandra Marrocos esclareceu que esta é 4ª vez que palestra para tratar da violência contra mulher e negou que tenha abordado a ideologia de gênero em sua explanação. A socialista garantiu que não será calada pela colega de parlamento. “A vereadora Eliza não me calará em espaço algum. Toda vez que eu estiver lutando pelo combate à violência contra mulher. Eu não aceitarei que a senhora rente calar a voz de quem luta por algo tão grave, que é a violência contra a mulher”, concluiu.

 

PB Agora

Notícias relacionadas

Campina limita funcionamento de bares, restaurantes e lojas de conveniência

A prefeitura de Campina Grande, no Agreste da Paraíba, confirmou que haverá redução no horário de funcionamento de bares e restaurantes do município. A medida acontece em razão do avanço…

Pesquisador analisa efeito do fim das coligações que deve extinguir siglas

As eleições municipais do ano passado marcaram o fim das coligações entre partidos para a escolha dos vereadores. A medida, estabelecida pela emenda constitucional 97/2017, enfraqueceu e até representar o…