Principal responsável por mandar para “a cadeia” os doze homens protagonistas do escândalo do “mensalão” o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Joaquim Barbosa, “só cumpriu com sua obrigação”. Pelo menos esse é o entendimento do vereador Napoleão Maracajá (PCdoB) que votou contra ao requerimento de um voto de aplauso para o ministro Joaquim Barbosa.

O requerimento apresentado pelo vereador governista Lula Cabral (PRB) na Câmara de Vereadores de Campina Grande gerou polêmica entre os parlamentares. Nem mesmo a postura rígida de Barbosa, hoje um dos homens mais influentes do país, e tido como exemplo de seriedade, sensibilizou Maracajá.

Para Napoleão não cabe a CMCG conceder voto de aplauso a quem tão semente cumpriu com seu dever e é muito bem pago para julgar casos no STF. “Joaquim no STF só cumpriu com seu dever como também o Joaquim motorista de ônibus. Quando eu ver o mensalão tucano julgado, será que os vereadores aqui também assinarão um voto de aplauso?”, disse o vereador do PCdoB contrário ao voto. Apesar da postura do vereador do PCdoB, a proposta foi aprovada na Casa.

O voto de aplauso ao ministro do STF já foi aprovado pelo vereadores de Olinda. Lá o autor do vereador Jorge Federal (Solidariedade), pontua algumas atuações do Presidente do Supremo Tribunal Federal. "A iniciativa tem o intuito de reverenciar o atual chefe do Poder Judiciário brasileiro, eleito pela revista Time uma das 100 mais influentes do mundo”, pontua Jorge Federal.

PBAgora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Eu não acredito em excessos”, diz Galdino sobre o comportamento dos deputados

Em entrevista a imprensa paraibana o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado Adriano Galdino (PSB), afirmou que espera dos deputados estaduais o bom senso para que saibam separar o…

Opinião: Bolsonaro resgata o clima de hostilidade à imprensa, vivido na ditadura

Bolsonaro sempre se apresentou como uma proposta verdadeiramente perigosa e ameaçadora à jovem democracia brasileira. Um grosso, truculento; daqueles que lembram os patéticos arroubos de ignorância do general Newton Cruz…