A Paraíba o tempo todo  |

Vereador da oposição denuncia sucateamento da frota da PMCG, e situacionista rebate

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Integrante da bancada de oposição na Câmara Municipal de Campina Grande, o vereador Galego do Leite denunciou, na Tribuna da Casan que carros da Prefeitura Municipal que fazem o transporte de pacientes para fazer fisioterapia, estaria quebrado há muito tempo e não havia previsão de conserto.

O vereador ressaltou que também foi acionado por um grupo de mães de bebês com microcefalia, que também reclamaram do mesmo assunto, além de que os carros à disposição estariam sem freio e cinto de segurança.

– Várias pessoas disseram que as Kombis que fazem o transporte estão sucateadas há mais de trinta dias. Estamos fazendo um apelo ao prefeito para que busque respostas da Secretaria de Saúde e cheque os transportes. As pessoas estão sendo prejudicadas. Fazemos esse apelo também ao chefe de transportes da prefeitura para que essas pessoas voltem a fazer o tratamento. Mães de bebês com microcefalia estão reclamando da mesma situação e dizem que muitas das Kombis faltam freio e estão em situação precária. Fazemos isso como apelo, e não como crítica, para que se olhe para essas mães nesta situação. Estamos na iminência de uma tragédia acontecer – ressaltou.

Em reação as denúncias de Galego do Leite, o líder do governo na Casa, o vereador João Dantas, disse que o prefeito Romero Rodrigues (PSDB), desconhecia o fato.

Em entrevista a Rádio Campina FM, João Dantas disse  que iria, junto com a Comissão de Saúde, fazer uma constatação in loco, para saber se tem realmente veículos na situação informada pelo outro vereador.

O vereador da situação criticou Galego, que é aliado do governador Ricardo Coutinho (PSB), e deixou transparecer que o vereador estaria tentando transformar as denúncias em um fato político.

 Ele também disse que o vereador poderia pedir ao chefe do Executivo estadual o repasse de verbas destinadas à saúde, para a Prefeitura.

– O governador não tem a menor sensibilidade para a cidade, porque isso amenizaria os custos em saúde. Campina é assoberbada por saúde, porque outros municípios são atendidos aqui e havendo uma parceria com o Estado, essas dificuldades amenizariam. Não passa recursos para próteses e órteses e nem para instituições de nossa cidade, que fazem trabalho não governamental. Temos o Trauma que não atende à demanda e outros – rebateu.

 

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe