Integrante da bancada de oposição na Câmara Municipal de Campina Grande, o vereador Rodrigo Ramos (PDT) admitiu a possibilidade de deixar o partido do deputado federal Damião Feliciano, mas garante que permanece na oposição ao prefeito Romero Rodrigues (PSD).

O vereador disse que espera a formação de um grupo para concorrer nas eleições proporcionais de 2020, mas pode buscar outra legenda para tentar à reeleição..
– Com a nova legislação, temos que formar o coeficiente dentro do partido, se não formar, sairei sem nenhuma rusga – disse.
Rodrigo disse que não se sente isolado dentro do PDT, mas que recebeu vários convites para ingressar em outros partidos.

Em entrevista concedida à Rádio Caturité, Rodrigo Ramos (PDT), criticou a punição do seu partido aos deputados que votaram à favor da reforma previdenciária.

Na entrevista, o vereador afirmou que tem recebido convite de outros partidos, mas acrescentou que, por hora, não tem o desejo e intenção de sair do partido, ao menos que ele seja obrigado a se filiar a outro partido por questões de legislação. Ele também negou uma aproximação política com o prefeito Romero.

– Eu fui eleito sozinho, não temos outros companheiros. O partido teve pouco voto na cidade, quase na sua totalidade na minha pessoa, se não formar [número de filiados], por questões de partido eu sairei. Nós acompanhamos Romero aqui no governo, sempre tenho votado junto com a oposição. Eu apenas não tenho feito ‘críticas por críticas’, e as pessoas confundem isso – afirmou.

SL

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Hospital da FAP comemora investimentos conquistados através de Veneziano

A direção do Hospital da Fundação Assistencial da Paraíba (FAP) veio a público agradecer ao senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) pela conquista de mais dois novos equipamentos, frutos de…

Romero declara que ainda não sabe se disputará novas eleições em 2022

No último ano de seu mandato, e faltando menos de 12 meses para deixar o cargo, o prefeito Romero Rodrigues (PSD), já planeja o seu futuro político. Romero que antes…