Questionada sobre a publicação nesta segunda-feira (20) no Diário Oficial, da lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro que anistia partidos que não investiram o mínimo exigido para incentivar que mulheres participem da política a deputada estadual Cida Ramos (PSB) disse que a decisão do presidente afronta à luta das mulheres por direitos no Brasil e no mundo.

 

“Considero uma decisão equivocada a sanção do presidente Bolsonaro. Vai na contramão de todas políticas nacionais e internacionais de incentivos participação das mulheres, além de fortalecer as burocracias partidárias, em geral dominadas por homens. É uma afronta as mulheres”, disse Cida Ramos.

 

A nova lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro anistia partidos que não investiram o mínimo de 5% do fundo partidário para promover a política das mulheres entre 2010 e 2018. O texto, aprovado no Congresso, teve como relator na Câmara o deputado Paulinho da Força, do Solidariedade, e determina que os partidos que “tenham utilizado esses recursos no financiamento das candidaturas femininas não poderão ter suas contas rejeitadas ou sofrer qualquer outra penalidade”.

 

 

Redação

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

2020: tucano garante pré-candidatura à PMCG independente de quem Romero apoie

Irredutível, o presidente da Agência Municipal de Desenvolvimento de Campina Grande, vereador licenciado Nelson Gomes Filho (PSDB), garantiu que independentemente do candidato que o prefeito Romero Rodrigues (PSD) indicar, ele…

Na Espanha, RC analisa a democracia brasileira após um ano do Governo Bolsonaro

Nesta quarta-feira (23), o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) será palestrante em um seminário sobre democracia, do Observatorio Global Urnas y democracia, na universidade de Salamanca, na Espanha. Na ocasião, o…