A manutenção de uma condenação contra o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) foi mantida ontem (18) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por unanimidade. Cássio foi condenado ao pagamento de multa de 100 UFIRs (cerca de R$ 106 mil, ainda a ser corrigido) por excesso de propaganda institucional em 2006, ano em que era governador do Estado.

A ação foi movida pela coligação Paraíba de Futuro, encabeçada pelo senador José Maranhão (PMDB), como candidato a governador, e o prefeito Luciano Cartaxo (PT), na vice.

O pleno do TSE seguiu o entendimento da decisão monocrática da ministra Maria Thereza de Assis Moura, que determinou o pagamento da multa, por entender que houve aumento nos gastos com propaganda institucional, ultrapassando a média permitida para ano eleitoral com referência aos gastos dos anos anteriores do governo.

A ação foi movida inicialmente no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) durante a campanha de reeleição do tucano, em 2010. Como perdeu, Cássio recorreu ao TSE pedindo a reforma do acórdão e a improcedência da ação alegando a perda do objeto quanto ao pedido de inelegibilidade, uma vez que o prazo de 3 anos já teria sido cumprido.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João evita debate sobre 2022 e condiciona tentar reeleição a resultados do mandato

“Estou trabalhando para me credenciar para apresentar à Paraíba lá em 2022 um nome por conta desse mandato que eu fiz, e não porque eu quero ser reeleito”, disse. Apesar…

João Azevêdo sinaliza apoio a Dr. Érico para as eleições em Patos

Pré-candidato à prefeitura da cidade de Patos, o deputado estadual de primeiro mandato, Doutor Érico (Cidadania) que em março deste ano, em entrevista ao PB Agora, destacava que sonhava em…