Por pbagora.com.br

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) respondeu na sessão administrativa dessa quinta-feira (24) a duas consultas sobre fidelidade partidária formuladas pelos deputados Antônio Feijão (PSDB-SP) e José Sarney Filho (PV-MA).

Na consulta do deputado tucano, o relator, ministro Felix Fischer (foto), respondeu que a Resolução 22.610 do TSE é aplicada aos casos de suplentes no exercício do mandato eletivo proporcional ou majoritário que mudarem de partido sem justa causa.

Na íntegra, o parlamentar questionava: “Se o suplente de deputado federal, no período em que esteja exercendo o mandato, em virtude de licença do titular, mudar de agremiação, perderá o mandato e poderá sofrer alguma outra sanção que culmine com sua inelegibilidade?”.

Na consulta do deputado Sarney Filho, o ministro Fernando Gonçalves respondeu que não compete a nenhuma esfera dos diretórios partidários – municipais, regionais ou nacionais, autorizar os detentores de mandatos eletivos a deixarem seus respectivos partidos sem a perda de mandato. O ministro lembrou que o instituto da infidelidade partidária foi firmado pelo TSE a partir de 27 de março de 2007 e regulamentada pela Resolução 22.610.

O parlamentar perguntava: “De quem é a competência para autorizar os detentores de mandatos eletivos deixarem seus respectivos partidos sem a perda de seus mandatos, se os diretórios municipais aos quais são filiados, os diretórios regionais ou somente os diretórios nacionais?”

TSE

Notícias relacionadas

Roberto Paulino manifesta desejo pela permanência de Nilvan Ferreira no MDB

O ex-governador da Paraíba Roberto Paulino, em entrevista à emissora de rádio de João Pessoa manifestou sua torcida pela permanência de Nilvan Ferreira no MDB. Nilvan foi candidato à Prefeitura…

Romero nega ‘olho grande’ no PTB, mas espera atrair legenda para oposição em 2022

O ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, que também é o atual presidente do PSD na Paraíba, negou durante entrevista nesta terça-feira (12) uma articulação para ‘abocanhar’ o comando do…