TRE determina data para eleições em Marcação e Itaporoca; pleito ocorre dia 19 de dezembro

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba decidiu, na manhã desta sexta-feira (19), que o pleito nos municípios de Itapororoca e Marcação ocorrerá no dia 19 de dezembro de 2010, ou seja, daqui a exatos 1 mês.

Segundo o juiz Carlos Neves, estão aptos a votar todos os eleitores com domicilio eleitoral em ambos os municípios. Em Itapororoca, 11.849 estão aptos a votar, já em Marcação, 8.580 vão às urnas no próximo mês.

A propaganda eleitoral nos municípios deve começar no dia 01 de dezembro e vão até o dia 18, véspera do pleito.


Entenda

Itapororoca

Após apuração dos votos no pleito de 2008, saiu vencedor o candidato do PMDB José Adamastor Madruga, que concorria à reeleição. O político não pode assumir por ter tido seu registro de candidatura impugnado pelo TSE, devido à reprovação de contas referentes a mandatos anteriores. Com isso, o candidato que ficou em segundo lugar foi empossado.

No entanto, o Partido Republicano Brasileiro entrou na Justiça contra a diplomação de Celso Morais, alegando que a votação atribuída ao peemedebista deveria ser computada como votos nulos, número que ultrapassava 50%. De acordo com essa argumentação, Celso teria sido candidato único, porém não teria atingido a maioria necessária dos votos válidos.

No momento, a administração local está sendo conduzida pelo presidente da Câmara, o vereador Erilson Cláudio (PTB), que possivelmente irá concorrer para permanecer no cargo. Ele conta com o apoio dos nove vereadores e das alas peemedebista e petista.

Outro possível candidato é o empresário Celso Morais (DEM), que governou o município por um ano e três meses, quando teve sua diplomação cassada pelo TRE, que deferiu o recurso, interposto pelo PRB, de nulidade do pleito eleitoral de 2008.

Marcação

O TRE-PB Cassou o prefeito e o vice-prefeito do município de Marcação devido à captação ilícita de sufrágil e abuso de poder econômico. Ambos foram acusados de doar material de construção a eleitores durante a campanha de 2008.

Com a decisão, o prefeito Paulo Sérgio da Silva Araújo (PMDB) e seu vice Valdi Fernandes da Silva ficaram inelegíveis por um período de três anos. Além da cassação e da inelegibilidade, o gestor recebeu multa no valor de R$ 53.205 mil.
 

PB Agora

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Não vamos desistir”, diz Wilson Filho sobre tolerância em estacionamentos

O deputado estadual Wilson Filho (PTB), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor, lamentou a falta de interesse dos shoppings em construírem um consenso junto à Frente e aos…

Vice-prefeito de CG volta a tecer críticas contra Ricardo Coutinho

O vice-prefeito de Campina Grande, Enivaldo Ribeiro (Progressistas), teceu comentários desfavoráveis ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), Em entrevista a uma emissora de rádio de João Pessoa, ele disse que…