Não tem nada apurado contra mim?, declarou o delegado federal Protógenes Queiroz, ao ser indagado sobre o inquérito da Polícia Federal que pode ser concluído com seu indiciamento por quebra de sigilo funcional, espionagem ilegal de autoridades e políticos e uso irregular de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na Operação Satiagraha. “Meu trabalho é realizado com base na lei e na Constituição”, afirmou.

 

Praticamente isolado na instituição que integra há 10 anos, Protógenes Queiroz retornou a São Paulo na semana passada para participar de uma sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito das Operadoras de Seguros, na Assembleia. Ao final, conversou com o Estado. Negou abusos da Satiagraha e criticou propostas para redução do prazo legal de interceptação telefônica.

 

estadao.com.br

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Suplente toma posse na CMJP em função de vereador licenciado

 Renato Martins (Avante) assume vaga deixada por Tanilson Soares (PSB), que solicitou licença para tratar de assuntos particulares A Mesa Diretora da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) deu posse,…

Eduardo cobra resposta sobre Plano de Retomada de Negócios e sugestões emergências

O deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Eduardo Carneiro (PRTB), cobrou uma resposta do Governo do Estado sobre…