Após uma guerra de liminares no ano passado que desencadeou uma crise nos bastidores do Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente da Corte, Dias Toffoli, derrubou uma decisão dele próprio e deu autorização, nesta quinta-feira (18), ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a conceder entrevista a jornalistas. Veja a íntegra da decisão.

Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde 7 de abril do ano passado, onde cumpre pena por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no âmbito da Lava Jato.

O ministro Ricardo Lewandowski havia decretado, no fim de setembro, de forma monocrática, uma autorização para que o ex-presidente concedesse entrevistas da prisão. No mesmo dia, o vice do Supremo, Luiz Fux, derrubou a decisão, que voltou a ser tomada dias depois pelo colega. A guerra de liminares foi parada pelo presidente do tribunal, que deu a palavra final, com a proibição que agora revogou.

A suspensão de liminar é um tipo de ação que, regimentalmente, é encaminhada à Presidência do Supremo, a não ser que este esteja ausente do país. Toffoli não estava em Brasília, mas em São Paulo. Fux também não estava em Brasília na ocasião.

Na época, o impasse gerou grande constrangimento nos bastidores do Supremo. No meio de setembro, Toffoli havia assumido a Presidência do STF com a promessa de melhorar o ambiente de tensão entre os colegas.

 

Congresso em Foco
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agencia Brasil

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Fim do prazo de desincompatibilização ainda pode provocar 3 baixas na PMJP

O prazo para desincompatibilização daqueles que ocupam cargos na gestão pública e pretendem disputar as eleições municipais deste ano termina nesta quinta-feira (04). Com isso, a Prefeitura de João Pessoa…

Nonato põe debate político em ‘stand by’ e diz que foco da gestão é no combate à pandemia

O Secretário de Comunicação do Governo do Estado, declarou durante entrevista à Rádio Arapuan FM nesta quarta-feira (03), que não há nenhuma orientação do governador João Azevêdo, nem do partido…