O deputado federal eleito Tiririca (PR-SP), o mais votado do Brasil, com 1,3 milhão de votos, deve fazer, nesta quinta-feira, um teste para comprovar que sabe ler e escrever, perante à Justiça Eleitoral paulista. Como o caso corre em segredo de Justiça, o exame deve ser feito a portas fechadas.

O juiz Aloísio Rezende Silveira, da 1ª Zona Eleitoral, é que deve decidir como o teste será feito.

— Sugeri que houvesse um ditado de um trecho da Constituição Federal e a leitura de outro. Mas o juiz é que vai decidir, ele pode pegar qualquer livro e pedir para o Tiririca ler — disse o promotor eleitoral Maurício Lopes.

Em sua defesa, Tiririca (cujo nome verdadeiro é Francisco Everardo Oliveira Silva) disse que teve a ajuda da mulher para fazer a declaração de próprio punho entregue à Justiça Eleitoral quando registrou sua candidatura. Peritos consultados pelo MP apontaram “artificialismo gráfico” no documento.

R7

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“O que eu pretendo é ser expulso” dispara Moacir sobre imbróglio no PSL

Não é de hoje que o deputado estadual Moacir Rodrigues (PSL) vem vivendo um imbróglio dentro da sigla na Paraíba. A celeuma entre ele e o presidente do partido na…

Cientista político paraibano elenca motivos da baixa quantidade de mulheres eleitas na política

As regras da Justiça Eleitoral que buscam resguardar cotas mínimas de candidaturas femininas e de recursos financeiros a elas ainda não são garantia de que mais mulheres serão, efetivamente, eleitas…