O deputado estadual Tião Gomes (sem partido) voltou a lamentar a forma drástica como foi destituído do PSL na Paraíba e, dessa vez, foi mais além – acusou o vereador Lucas de Brito, atual presidente da sigla no Estado, de ter se vendido por um emprego de subprocurador.

“A maneira drástica, a maneira que fizeram, foi lamentável. Eu sou um guerreiro, mas sou do diálogo. Não tiveram uma conversa. Mas fizeram de outra maneira, sem conversar, tomar, assaltar, tirar. Eu ser destituído por um email é injusto. Eu merecia o mínimo de respeito do PSL. E esse vereador que se vendeu, que se trocou por um emprego de subprocurador, que hoje está calado, eu quero que ele daqui há um ano faça pelo menos 10% do que eu fiz pelo partido”, disse.

O parlamentar disse ainda que já foi convidado por dezenas de legendas e avisou que tem crédito na praça.

“Eu tenho crédito na praça, as pessoas me conhecem, por isso já recebi convite de dezenas de partidos”, disse.

CONFIRA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA

 

 

Com Vanessa de Melo

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise: após o Carnaval, a Paraíba será cenário de guerra política

A conclusão é óbvia. Após o período de Carnaval o clima de certa “afabilidade” entre deputados federais, estaduais, prefeitos, vereadores e o próprio governador João Azevêdo (Cidadania) será modificado drasticamente,…

João Azevêdo diz que movimento de PM’s na PB tem forte conotação política

“Há forte conotação política”. Essa foi a análise do governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), a respeito das manifestações realizadas por representantes das polícias Civil e Militar, assim como, do…