Por pbagora.com.br

 

O Exército deverá amanehcer nas ruas de Campina Grande mais uma vez nas eleições deste ano, segundo uma tradição dos últimos pleitos. O emprego das Tropas Federais no pleito, foi autorizado pelo Presidente da República Michel Temer, conforme comunicado do Palácio do Planalto.

 

O pedido de Tropas Federais foi feito pelos três juízes eleitorais em ofício encaminhado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O documento foi assinado pela juíza Ana Cristina Soares Penazzi , 16º Zona Eleitoral; pelo juiz Horácio Ferreira de Melo 17º Zona Eleitoral; e pelo juiz Falkandre de Sousa Queiroz, da 72º Zona Eleitoral.

 

Horácio Ferreira, que além de Juiz da 17º Zona, srá coordenador da propaganda eleitoral, argument que apesar do excelente trabalho que vem sendo realizada pelas forças policiais do Estado, é importante a presença de tropas federais em alguns setores da cidade, para auxiliar aos próprios juízes.

O magistrado ressaltou também, o próprio histórico das eleições na cidade. E acredita que o pedido deverá ser aprovado, para que o reforço chegue a cidade pelo menos três dias antes do pleito. Se o pedido for aprovado pelo plenário do TRE-PB, que vai abrir um processo para analisar o caso, mandar ouvir também o Governo do Estado, que garante que o efetivo policial tem condições de garantir a segurança do pleito, mas não costuma se opor aos pedidos.

 

Ele adiantou que o ideal seria a presença do Exército, na cidade, a partir de 4 de outubro, três dias antes do primeiro turno do pleito, em 7 de outubro. O juiz lembrou que, em atendimento ao pedido dos juízes que atuam no processo, as tropas federais já autorizadas para auxiliar na segurança das Eleições em Campina Grande nos últimos sete pleitos, ocorridos nos anos de 2004, 2006, 2008, 2010, 2012, 2014 e 2016.

 

“O acirramento é grande, muitos políticos têm suas lideranças e muitos aliados cujos ânimos de exaltam quando se aproximam as eleições”, explicou.

 

Segundo a Presidência, o decreto assinado por Temer esta semana, será publicado no "Diário Oficial da União".

 

O texto, divulgado pela assessoria de Temer, não detalha como será a atuação dos militares, define somente que as Forças Armadas deverão atuar para garantir a votação e a apuração em locais definidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

“Fica autorizado o emprego das Forças Armadas para a garantia da votação e da apuração das eleições de 2018. […] As localidades e o período de emprego das Forças Armadas serão definidos conforme os termos de requisição do Tribunal Superior Eleitoral”, diz o decreto.

 

Medida semelhante foi adotada nas eleições de 2014, pela então presidente Dilma Rousseff.

À época, as Forças Armadas empregaram 30 mil militares em 326 cidades, apoiando a garantia da ordem e ajudando na logística.

 

Os eleitores irão às urnas no dia 7 de outubro, para votar em candidatos a deputado estadual/distrital, senador, governador e presidente da República. Em caso de candidatos a governador ou a presidente irem ao segundo turno, os eleitores votam novamente no dia 28 de outubro.

 

Severino Lopes

PB Agora

Notícias relacionadas

João e embaixador dos EUA estabelecem parcerias em áreas estratégicas

O governador João Azevêdo e o embaixador dos Estados Unidos da América (EUA) no Brasil, Todd Chapman, assinaram, nesta quinta-feira (13), um memorando de entendimento que tem como objetivo o…

Roberto Paulino manifesta desejo pela permanência de Nilvan Ferreira no MDB

O ex-governador da Paraíba Roberto Paulino, em entrevista à emissora de rádio de João Pessoa manifestou sua torcida pela permanência de Nilvan Ferreira no MDB. Nilvan foi candidato à Prefeitura…