Tecnologia e exercícios devem caminhar juntos

Foi lançado no Brasil após oito meses de espera o iPad, tablet da Apple que permite navegar na internet, ler jornais e assistir TV em uma tela sensível ao toque pouco maior que um livro comum. Apesar do alto preço (o modelo mais barato custa R$1.649), a procura foi alta e o produto esgotou-se em menos de 24 horas nas principais lojas.

O iPad representa mais um passo no caminho para a conexão ininterrupta das pessoas. Com ele é possível, do conforto da sua cama, ler as principais notícias do dia, assistir vídeos do mundo inteiro e conectar-se nas redes sociais para interagir com amigos. O esforço físico necessário não passa de um mover de dedos.

No mundo moderno é essencial e indispensável estar conectado. Apesar dos problemas que podem trazer, como um eventual desligamento do mundo real e um aumento considerável do trabalho devido à possibilidade de contato constante com os chefes, a internet deixa o mundo ao nosso alcance. Contudo, este é o grande perigo das novas tecnologias.

O controle remoto pode ser considerado o pioneiro na imobilização do acesso à tecnologia. Desde a invenção do controle remoto por infravermelho, utilizado até hoje, em 1980, a interação com as máquinas se dá de forma cada vez mais distante, exigindo menos esforço. Com o iPad, não é preciso nem se levantar após acordar para ler um jornal ou até solicitar comida via internet.

O avanço tecnológico é indispensável e importantíssimo. É o que permite ao mundo estar em constante desenvolvimento, com todos trabalhando ininterruptamente para melhorar o que já existe e trazer mais velocidade ao caos ordenado em que vivemos. É essencial lembrar, contudo, que o nosso corpo não pode ser deixado de lado nessa busca por avanços. Precisamos ter sempre em mente que apenas um organismo saudável consegue trabalhar e produzir.

O sedentarismo provocado pelos avanços tecnológicos avança cada dia mais, apesar das tentativas de impedi-lo. Apenas nos Estados Unidos, exemplo mundial de consumo desenfreado e lar das grandes inovações tecnológicas, incluindo o iPad, mais de 70% da população adulta tem excesso de peso ou obesidade, uma estatística alarmante que custa caríssimo ao país. Em 2000, a obesidade gerou US$ 61 bilhões de dólares em gastos médicos e US$ 117 bilhões em perdas econômicas. Combinados, os valores correspondem a 1,26% do PIB norte-americano, disparado o maior do mundo. Para efeito de comparação, as perdas equivalem a 11,3% do PIB brasileiro, oitavo maior.

A possibilidade de estar conectado em qualquer lugar pode muito bem ser aliada à busca por uma vida mais saudável. Já que o iPad pode nos acompanhar sempre e até os celulares já oferecem acesso rápido à internet, uma boa opção é fazer atividades físicas como caminhadas, corridas ou até academia com a companhia do mundo em seu bolso. É uma maneira saudável de quebrar o sedentarismo sem desconectar-se.

Cientes da crescente preocupação dos usuários com a própria saúde, empresas de tecnologia têm se unido a companhias de artigos esportivos. Alguns modelos de tênis para corrida comunicam-se com os aparelhos da empresa de tecnologia e fazem o papel de um personal trainer virtual. Ele calcula distâncias percorridas, calorias queimadas e até faz planos de treino individuais para cada usuário.

Os videogames também entraram na onda do movimento e incentivam os jogadores a saírem do sofá. Há aparelhos que inclusive já dispensam o uso do controle, permitindo ao usuário controlar todas as funções com movimentos do corpo. É uma maneira divertida e saudável de promover atividades físicas entre os jovens, que cada vez menos se preocupam com o próprio corpo e apresentam índices de obesidade crescentes e alarmantes.

Em São Paulo já existem iniciativas públicas que buscam promover um mínimo de condicionamento físico na população. O programa Agita São Paulo estimula pequenas atividades físicas em diversos ambientes, como casa e trabalho. São medidas simples, como estacionar um pouco mais longe do destino ou dispensar o controle remoto para trocar o canal da televisão. O foco é acumular 30 minutos diários de atividade física, através de atividades inseridas no cotidiano.

Para manter a boa saúde, não é preciso deixar de lado todas as inovações tecnológicas que facilitam muito nossas vidas. Os computadores, cada vez mais portáteis, podem ser grandes aliados na construção de um estilo de vida mais saudável e ativo. Já estamos em um momento em que é possível manter-se conectado longe das telas dos monitores. Combater o sedentarismo é um desafio que a tecnologia, outrora grande inimiga das atividades físicas, pode ajudar a superar.
 

 

Assessoria

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: a metáfora de “RC, João e a guerra em terras Tabajara”

A guerra foi deflagrada. Montgomery decidiu firmar o desembarque no Sanhauá de forma rápida e precisa, a fim de evitar maiores movimentos do exército oposicionista comandado pelo general Hideki Tojo.…

Senado discute reforma tributária e Aguinaldo deve apresentar relatório até 08/10

O Senado começa a discutir a reforma tributária nesta segunda-feira (19), quando a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) realiza audiência pública com especialistas no assunto. A reunião foi  solicitada…