Por pbagora.com.br

O vereador pessoense Bruno Farias (PPS) fez uma radiografia do que está ocorrendo em João Pessoa, reportando-se ao vazamento de áudio em que o gestor da pasta de Saúde coage funcionários do setor a votarem nos dois pré-candidatos, exigindo o atingimento de uma meta de, no mínimo, de 70% dos votos na capital.

“O que a gente está vendo é a modernização do voto de cabresto. Antes, o coronel usava a força, agora é mais soft, mais modernizado, mas continua fazendo tão mal como no passado, a coação, o uso despudorado, indecoroso, da máquina pública”.

A bancada de oposição na Câmara Municipal de João Pessoa deverá protocolar duas ações contra Lucélio Cartaxo (PV), pré-candidato ao Governo do Estado, o secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, e o pré-candidato a deputado estadual, Zennedy Bezerra (PMN), após vazamento do áudio.

Redação 
 

Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

Notícias relacionadas

Opinião: isolado no MDB, Nilvan deve migrar para o PSDB a convite de Pedro

Aprendi, desde cedo, que dependendo do caso, somar ou multiplicar é mais viável que subtrair. Então, tendo a chance de trazer uma quantidade maior de números para certa finalidade, como…

CPI: ministro ratifica que população acima de 18 anos será vacinada até o fim do ano

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga voltou a reafirmar que até o final deste ano toda a população brasileira acima de 18 anos estará vacinada contra a covid-19. A Fala…