Por pbagora.com.br

A decisão foi do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), e resultou na libertação do prefeito afastado de Uiraúna, João Bosco Fernandes (PSDB), Bosco foi preso no final de 2019 na Operação Pés de Barro. O ministro impôs uma fiança no valor de R$ 533 mil.

A Polícia Federal, durante as investigações, teve acesso a imagens do prefeito recebendo propina e guardando os valores na cueca. No vídeo, os valores foram entregues ao prefeito pelo empresário George Ramalho, que também registrou as imagens.

O ministro determinou ainda que a Câmara Municipal de Uiraúna seja notificada sobre a proibição de João Bosco Fernandes de ter acesso a sede da prefeitura, assim como, às secretarias e demais órgãos da administração municipal.

A Operação Pés de Barro foi deflagrada no dia 21 de dezembro do ano passado. A ação foi determinada pelo STF.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ana Cláudia reúne pré-candidatos do Podemos para tratar de ideias para CG

A pré-candidata à Prefeitura de Campina Grande, Ana Cláudia, reuniu neste final de semana os pré-candidatos do Podemos para tratar sobre assuntos relacionados à campanha eleitoral que se aproxima e…

Ludgério diz que filiação partidária pesou na escolha por Bruno, em CG

O deputado estadual Manoel Ludgério afirmou que o fortalecimento do seu partido, o PSD, foi o que mais pesou na sua decisão de apoiar o pré-candidato Bruno Cunha Lima,  do…