Em novo rebate às críticas da sua colega de partido, Sandra Marrocos, após  ter entregado a liderança do PSB na Câmara Municipal de João Pessoa, o vereador Léo Bezerra mandou um recado para colega que o chamou de ingrato, e avisou que gratidão é diferente de subserviência.

“Nós somos gratos, mas não somos capachos”, disse Léo em resposta.

Léo lembrou que nenhum outro militante defendeu, mais do que ele, o projeto socialista. “Ninguém defendeu o projeto do PSB mais do que eu. A direção nacional deveria ter chamado o feito à ordem, ouvindo as duas partes. Mas não fez isso, colocou mais lenha na fogueira. Eu queria subir nessa tribuna para falar de outras coisas. Fico constrangido em fazer esse debate, não gostaria de fazer esse discurso. Queria debater a campanha do PSB, o projeto, gostaria de fazer esse discurso. Ricardo Coutinho é um grande nome para a prefeitura, ou alguém duvida disso?”, declarou o vereador socialista que é filho do deputado estadual Hervázio Bezerra (PSB).

Segundo Léo não dá para ficar aceitando desaforo.

“Não sou moleque para quem quer que seja me diga se devo sair ou não do PSB, do qual sou filiado há 16 anos. Gratidão não é escravidão, é uma via de mão dupla. Se a direção [do diretório municipal] compactua com a intervenção no diretório estadual, eu não. Aqui, o meu líder é Marcos Henriques (PT), só ele pode falar em meu nome”, finalizou.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: Cícero jamais fará aliança com RC por ter ele estimulado a Operação Confraria

O ex-prefeito da Capital, havendo em seu currículo ter sido senador, ministro e governador do Estado, Cícero Lucena (PP) concedeu entrevista ao programa 360 Graus nesta quinta-feira (9) já na…

Disputa em CG: enquete aponta Ana Cláudia na dianteira da corrida eleitoral

Assim como fez com relação à disputa eleitoral em João Pessoa, o programa Arapuan Verdade, realizou nesta sexta-feira (10) um enquete onde quis saber a intenção de voto do eleitor…