Por pbagora.com.br

A bancada de situação na Câmara de João Pessoa esvaziou o plenário, ontem (07), quando vereadores da oposição divulgaram o áudio com a fala do secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio. E tinha uma razão de ser: de fato, as provas eram irrefutáveis, no que diz respeito à pressão para que servidores votem em Lucélio Cartaxo.

 

Sandra Marrocos (PSB) provocou: “Cadê eles, foram pra onde?”. Do líder da oposição, Léo Bezerra (PSB), ontem, no plenário da Câmara Municipal de João Pessoa: “Esse é o modelo de gestão do prefeito Luciano Cartaxo, coagir servidores. Nós não inventamos nada, está lá [no áudio], o secretário exigindo votos para Lucélio e Zennedy. João Pessoa e a Paraíba estão cansadas desse modelo, não aceitam mais esse tipo de prática”.

 

No áudio vazado mostra que o gestor da pasta de Saúde coage funcionários do setor a votarem nos dois pré-candidatos, exigindo o atingimento de uma meta de, no mínimo, de 70% dos votos na capital.

 

 

Redação

Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

Notícias relacionadas

Prefeitura de Sapé perde prazo e fica de fora da fundação do Consórcio Nacional de Vacinas

No estado da Paraíba, 99 municípios aderiram ao Conecta no Brasil, 1.703 municípios aderiram ao consorcio, o prazo para adesão terminou. Na contramão de outros municípios paraibano, a cidade de…

“Não é hora de querer aparecer, mas de ajudar”, diz deputada do PP criticando Bolsonaro pela condução da pandemia

A forma como o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) vem lidando com questões relacionadas à pandemia do coronavírus foi criticada pelas deputada estadual, Dr. Jane Panta (PP). Em…