O deputado estadual Buba Germano (PSB) declarou nesta terça-feira (11) que seu entendimento sobre o pedido de impeachment contra o governador João Azevêdo e a vice Lígia Feliciano, segue o mesmo raciocínio que o dos demais colegas de situação: que tudo não passa de um movimento para ganhar palanque eleitoral e visibilidade para as eleições municipais de outubro próximo.

De acordo com o parlamentar, eles enquanto deputados devem respeitar o voto popular para fazer prevalecer a defesa da democracia.

“Acompanho o pensamento do nosso companheiro Jeová, nós somos defensores dos princípios da democracia, o voto popular tem que ser respeitado, não vejo absolutamente nenhum motivo pra isso, também não vamos querer transformar o plenário da Assembleia Legislativa em palanque de antecipação das eleições municipais” defendeu.

Ao justificar, Buba declarou que conhece bem esse tipo de articulação, a qual reprova e chegou a defender a cláusula de barreira, alegando que muitos partidos tentarão ter visibilidade política de maneira equivocada.

“Eu conheço bem isso, é ano de eleições municipais e têm partidos por aí que não vão conseguir sequer candidaturas de vereador e aí eu sou a favor da cláusula de barreira de quem não tem representação, eu não sei por quê trinta e oito partidos no país, então por trás disso eu acho que tem esse jogo das eleições municipais” concluiu.

Com informações de Eliabe Castor

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Em nota, Assembleia lamenta morte do ex-deputado Marcus Odilon

Em nota emitida na manhã desta segunda-feira (24), o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino, lamentou a morte do ex-deputado estadual e ex-prefeito de Santa Rita, Marcus Odilon.…

Eleições de 2020 trazem novas regras e preveem limitação no autofinanciamento

Mais de 153 milhões de eleitores vão às urnas neste ano para eleger prefeitos e vereadores. Criminalização de fake news, boca de urna eletrônica e restrições aplicadas às campanhas podem…