Por pbagora.com.br

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) ocupará a tribuna do Senado na tarde desta segunda-feira (3) para pedir a renúncia do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP) de preferência até amanhã e criticar a nota da direção do partido que pede que parlamentares dissidentes deixem a sigla “o quanto antes”.
 

De acordo com um assessor, Simon dirá que apenas sairá do partido se for expulso, porque defende memória do velho MDB (Movimento Democrático Brasileiro), que lutou contra o Regime Militar (1964-1985).

Uma nota divulgada no site do partido, o comando nacional do PMDB pede a saída dos rebeldes, sem citar nomes, e se compromete a não cobrar na Justiça os mandatos deles.

Membros do partido avaliam que o texto foi um recado a Simon e Jarbas Vasconcelos (PE), que fazem oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e criticam a permanência de Sarney no comando do Senado.

Procurado pelo UOL Notícias, Jarbas não estava disponível para fazer comentários sobre o pronunciamento do colega e sobre a nota do PMDB.

UOL

Notícias relacionadas

Opinião: Lava Jato só serviu para pôr a extrema-direita no Poder e quebrar o Brasil

Para melhor avaliar o estrago que foi a Lava Jato, basta que se observe o que era o Brasil antes e depois de instituída esta Operação. Tanto do ponto de…

Estados liderados por bolsonaristas encabeçam mortes por covid-19; veja posição da Paraíba

Um estudo feito pela unidade de inteligência do portal Congresso em Foco mostra que os estados que mais votaram em Jair Bolsonaro no primeiro turno das eleições presidenciais de 2018…