Por pbagora.com.br

Após reunião com representantes do Poder Judiciário estadual, realizada no Tribunal de Justiça da Paraíba (foto) na tarde desta quarta-feira (21), os servidores, logo após o encontro, decidiram, em assembléia, retornar as atividades nesta sexta-feira (23). Por outro lado, não acataram a proposta de oito por cento (8%), a título de reajuste salarial, dos quais quatro por cento (4%) seriam incorporados no mês de agosto e o restante, no mês de novembro.

A respeito da elaboração de um novo Plano de Cargos Carreira e Remuneração (PCCR), com a participação dos representantes das categorias; a regulamentação das remoções e o expediente forense único, de sete horas corridas, coincidindo com a jornada de trabalho, os líderes do movimento informaram que estes pontos serão avaliados em agosto.

Segundo o secretário de Planejamento e Finanças do TJPB, Paulo Romero, este é o máximo valor a ser oferecido para ser cumprido ainda nesta gestão, sem prejuízo de discussões posteriores. “Fizemos todos os cálculos a partir de cortes que serão necessários para trabalharmos com este percentual. Não podemos negociar com receitas previstas, mas concretas e este é o limite seguro para o Tribunal não ferir o orçamento”, analisou.

Da ascom TJPB
 

Notícias relacionadas

Levantamento do PB Agora contabiliza 10 nomes cotados para disputar única vaga da Paraíba no Senado em 2022

Um levantamento feito pela reportagem do PB Agora contabilizou ao menos dez nomes cotados para ingressar na disputa pela única vaga da Paraíba no Senado Federal nas eleições de 2022.…