Por pbagora.com.br

Tucano é o terceiro presidenciável a requisitar o serviço. Na terça-feira, houve tumulto durante um ato de campanha

 

Somente ontem, o candidato do PSDB, José Serra, requisitou a segurança da Polícia Federal (PF), um direito garantido a todos os presidenciáveis. A situação estava preocupando o governo, principalmente depois do incidente envolvendo militantes tucanos e jornalistas ocorrido na terça-feira, em São Bernardo do Campo (SP). O pedido de escolta policial foi feito depois que o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, ligou para a coordenação de campanha do PSDB alertando que havia uma equipe de agentes à disposição em São Paulo.

O uso de segurança federal pelos candidatos à Presidência da República é determinado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que exige da PF um determinado número de policiais para acompanhar os políticos. Até ontem pela manhã, só três postulantes ao Palácio do Planalto — Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PV) e José Maria Eymael (PSDC) — haviam requerido um grupo de agentes federais.

A equipe de campanha de Serra somente fez o pedido depois de um telefonema de Corrêa a Fábio Feldman — um dos assessores dos tucanos — mostrando preocupação, já que ninguém do PSDB havia procurado a superintendência da PF em São Paulo, onde um grupo de agentes, comandados por um delegado, estava à disposição. No fim da tarde, a Polícia Federal(1) informou que Serra aceitou a escolta.

O candidato tucano também poderia rejeitar a segurança. Mas, para isso, teria que assinar um documento recusando a escolta, como fez a ex-senadora Heloisa Helena em 2006, quando era a candidata do PSol à Presidência da República. Além disso, o PSDB poderia pedir uma segurança eventual, como fez esta semana Ivan Pinheiro, que disputa o Palácio do Planalto pelo PCB. Em uma viagem a Sergipe, ele requisitou escolta da PF durante uma carreata em Aracaju, mas não anda permanentemente com segurança. Outros quatro candidatos de pequenos partidos também não haviam procurado a PF para requerer a força policial.

Tumulto

Na terça-feira, durante um evento em São Bernardo do Campo, por pouco Serra não foi envolvido em um tumulto provocado por seus seguranças, militantes e jornalistas. O candidato tucano tomava café em uma padaria no Largo da Matriz quando a confusão começou a poucos metros, no momento em que cinegrafistas e fotógrafos se acotovelaram para colher uma melhor imagem do tucano e foram retirados das mesas onde haviam subido por seguranças. Ninguém ficou ferido gravemente e a caminhada de Serra continuou por pelo menos mais 15 minutos.

1 – Orçamento

A Polícia Federal é obrigada a manter um orçamento próprio e um efetivo definido para dar segurança aos candidatos à Presidência da República em todos os seus deslocamentos. A resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem forma de lei, embora a escolta possa ser recusada. O trabalho da PF fica por conta da Coordenação-Geral de Defesa Institucional, que é quem faz o acompanhamento das eleições brasileiras e cuida da segurança do pleito.

Consulte se o seu título de eleitor está regular no site do TSE www.tse.gov.br
 

 

 

Correio Braziliense

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ibope aponta liderança de Cícero no 2º Turno com 44%; Nilvan tem 36%

Na noite desta terça-feira (24), a pesquisa Ibope divulgada pela TV Cabo Branco apontou a liderança do candidato Cícero Lucena (PP) com 44% das intenções de voto para o 2º…

Consult: Cícero aparece com 49,2% e Nilvan com 40,9%; indecisos são 1,7%

O Instituto Consult divulgou nesta terça-feira (24), durante o programa de Rádio “Arapuan Verdade”, a pesquisa de intenção de voto para o 2º turno das eleições municipais em João Pessoa.…