Por pbagora.com.br

Depois de duas semanas de recesso, o Senado retoma suas atividades nesta segunda-feira (3) em crise e com o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), no Conselho de Ética. São 11 pedidos de investigação contra o presidente da Casa no colegiado, que realizará reunião nesta quarta-feira (5). Também terá espaço na semana a CPI da Petrobras, que na quinta-feira (6) tem a primeira sessão para a votação de requerimentos.

O período de folga dos senadores acabou servindo para ampliar a pressão contra Sarney. A divulgação de gravações que ligam o presidente do Senado aos atos secretos, entre outras denúncias, terminou por contaminar ainda mais o clima na Casa. Diversos senadores pedem a saída de Sarney do cargo e alguns já começam a especular nomes para a sucessão.

No Conselho de Ética, seis denúncias apresentadas pelo senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) e cinco representações apresentadas por partidos, três do PSDB e duas do PSOL, pedem investigações contra o presidente da Casa por suspeita de quebra de decoro parlamentar. O presidente do colegiado, Paulo Duque (PMDB-RJ), aliado de Sarney, comandará a reunião de quarta-feira e terá de decidir sobre o arquivamento das denúncias ou a abertura de processos. Duque poderá também unificar algumas das denúncias e representações.

Sarney, no entanto, não é o único senador no Conselho de Ética. O PSOL já havia apresentado uma denúncia contra o ex-presidente da Casa e atual líder do PMDB, Renan Calheiros (AL). A fila de denunciados deve crescer nesta semana. Calheiros já anunciou que irá pedir investigação contra o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), no colegiado. O tucano também cogita levar ao Conselho o líder do PMDB.

Na área administrativa, o diretor-geral do Senado, Haroldo Tajra, deverá divulgar nesta semana o relatório final da comissão que analisou os atos secretos. O relatório deve propor a demissão de servidores e a anulação de atos.

Em meio ao clima de disputa partidária, outra linha de investigação disputará os holofotes no Senado. A CPI da Petrobras tem marcada para quinta-feira (6) a primeira sessão de votação de requerimentos. Instalada depois de muitas disputas entre governo e oposição, a comissão deve ser palco de debates acalorados.

Câmara

Na Câmara, as denúncias contra parlamentares também devem ter destaque. Está nas mãos do corregedor da Casa, ACM Neto (DEM-BA), o relatório da sindicância que investigou a “farra das passagens”. O relatório recomenda a abertura de processos administrativos contra 44 servidores e ex-servidores da Casa.

Caberá agora a ACM Neto analisar se há indícios de envolvimento de parlamentares com o esquema de venda de passagens. O corregedor já afirmou considerar quebra de decoro parlamentar se algum deputado vendeu passagens de sua cota.

 

 

G1

Notícias relacionadas

Em 100 dias de governo, gestão Bruno em CG conquista aprovação de 74,4%

Levantamento também aponta 84% de avaliação positiva à maneira do prefeito governar e 87% de boas expectativas da cidade para os próximos quatro anos de administração municipal Pesquisa de opinião…

Ruy diz que PMJP prejudica Laureano ao segurar recursos desde janeiro

Conhecido por seu extenso trabalho na saúde, principalmente voltado para a luta do combate ao câncer, o deputado federal Ruy Carneiro esteve ao lado do novo presidente da Fundação Napoleão…